Moeda: Clima: Marés:

Especialista fala da percepção das pessoas sobre as cores

Uso de alguns tons ou combinações de cores trazem reflexos diferentes na nossa visão

O cuidado com a própria aparência uma constante no auge das sociedades contemporâneas, embora esse cuidado não seja uma característica atual da humanidade. E hoje a análise cromática está se popularizando entre as pessoas, não sendo mais tão incomum ver quem busca consultores de imagem pessoal ou profissionais de styling para fazer receber um tipo de serviço da área.

Esses profissionais podem ajudar a melhorar a nossa imagem, independentemente das nossas razões: buscar um novo emprego, conhecer a paleta de cores pessoal, identificar os gostos, orientar a combinação de peças e acessórios, entre outras. O intuito é valorizar a beleza natural através do vestuário que mais combina com os tons naturais individuais.

Mas a pergunta é: como as cores nos impactam no dia a dia? Para responder essa dúvida, a professora do curso de Design de Moda do Unipê Valesca Sperb Lubnon usa como referência o livro “A Psicologia das Cores” da autora e cientista social alemã Eva Heller, que diz que todas as cores despertam algum sentimento no indivíduo.

“Heller fala que todas as cores despertam algum tipo de sentimento no indivíduo, e que essas influências se alteram de acordo com contexto, referências culturais, históricas e sociais. A autora afirma que ‘a cor num traje será avaliada de modo diferente do que a cor num ambiente, num alimento, ou na arte’. Outro aspecto abordado por ela é que algumas cores quando combinadas com outras têm seu significado alterado, como o vermelho, que é relacionado ao amor, mas que combinado com o preto tende a caracterizar ódio”, apresenta Valesca.

Mais um exemplo abordado no livro de Eva Heller: o vermelho e amarelo juntos remetem à alegria, mas acrescentando o preto nessa combinação, o sentimento em relação à tríade se altera para egoísmo. “Isso reforça que a cor é uma forma de comunicação não verbal e seus significados provêm da cultura e dos valores de cada povo, de modo que se pode afirmar que a cor do vestuário irá influenciar a percepção que as outras pessoas terão de você naquele momento”, explana a professora do Unipê.

As cores quentes, como os vermelhos e amarelos, são outros casos: elas causam um efeito estimulante na mente, proporcianando a percepção de calor, aconchego e intensidade. Em contraste, as cores frias, como azuis e verdes, proporcionam frescor, leveza e tranquilidade.

“A preferência por determinada cor ou determinadas cores está associada a fatores psicológicos, sociológicos e fisiológicos. Porém, algumas vezes a escolha de uma cor é determinada pela utilização que ela poderá ter em função de algo (noiva = branco, luto = preto, religiosidade = azul claro). A partir de hábitos sociais que se estabelecem durante toda uma vida, fixam-se reações psicológicas que norteiam tendências individuais”, pontua Valesca.

Quer ser um (a) designer de moda?

Se você está pensando em ingressar em um curso superior de Design de Moda, participe do próximo processo seletivo e construa o seu futuro junto do Unipê. Saiba mais sobre o curso!

Comentários

Deixe seu comentário
Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2022. Portal Correio. Todos os direitos reservados.