Início Geral

Estado renegocia dívida com a União e espera R$ 1,3 bi para obras

O governador Ricardo Coutinho manteve audiência, nesta quinta-feira (14), com o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, em Brasília (DF). Ele tratou sobre a questão do alongamento da dívida do Estado com a União, bem como a agilização dos contratos de financiamento da Paraíba e revisão do Plano de Ajuste Fiscal. Ricardo adiantou que Barbosa assumiu o compromisso de agilizar os contratos dentro do atual espaço fiscal de R$ 112 milhões e a revisão do plano de ajuste fiscal, o “que nos dá mais R$ 1,3 bilhão que poderão ser investidos em obras, gerando mais empregos, desenvolvimento, logística, infraestrutura”, disse o governador.

Leia mais notícias de Política no Portal Correio

Na conversa com o ministro, Ricardo disse que demonstrou preocupação com relação a liminar do Supremo Tribunal Federal. “A União somos todos, não é apenas um governo, é o país todo, e quando muda o regime de cobrança de juros isso impacta em todo país e vai ter um resultado que pode levar a uma quebradeira e isso não interessa a ninguém, a nenhum estado”, comentou.

Ricardo ressaltou que defende a tese de que o STF comande uma mesa de acordo entre o Governo federal e os governadores para se discutir essa situação, “porque os estados têm dificuldade no pagamento da dívida e essa liminar é violenta e fora de qualquer realidade para que a União possa suportar, precisa ter um acordo”. Ele lembrou que mais uma vez o Congresso Nacional não votou o projeto encaminhado pelo Governo Federal para alongamento da dívida dos Estados. “Havia um acordo de todas lideranças das duas casas – Câmara e Senado – de que seria realizada uma votação emergencial e até hoje nada e os estados continuam sofrendo e nós precisamos mais do que nunca resolver isso”, observou.

Infraero

O governador também esteve na Infraero, onde foi informado da suspensão do fechamento do terminal de cargas. Ele adiantou que deverá haver uma discussão promovida pelo governo do Estado em João Pessoa com entidades empresariais e a própria Infraero para que sejam encontradas alternativas que não prejudiquem a Paraíba e possam incentivar o transporte de caras pelo Aeroporto Castro Pinto.

Ele ainda solicitou a reforma do piso do Aeroporto Castro Pinto e o combustível de bandeira para o Aeroporto João Suassuna, em Campina Grande, cuja operação deverá ocorrer a partir de maio. “Os aviões serão abastecidos e isso é algo importante, incentiva o uso do aeroporto de Campina Grande”, disse.

Palavras Chave

Portal Correio

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.