Início Notícias

Ex-PM é preso suspeito de duplo homicídio no Sertão da PB

Por meio de trabalho investigativo de policiais do município de Santa Luiza e da Delegacia de Homicídios de Patos, a Polícia Civil da Paraíba prendeu, na manhã desta terça-feira (8), o ex-policial militar Arcádio Queiroz de Medeiros, de 52 anos. Ele é suspeito de ser o autor intelectual do duplo homicídio que teve como vítimas Guilherme Alves do Nascimento Júnior, de 52 anos, e Tayza Kelly Lopes de Morais, de 27 anos, ex-esposa do ex-PM. O crime aconteceu no dia 7 de janeiro de 2018, em trecho da rodovia BR-230 localizado entre os municípios de Santa Luzia e São Mamede, no Sertão paraibano.

De acordo com as investigações policiais, o casal vítima da ação passou o fim de semana na cidade de João Pessoa e, quando estava voltando para casa, o carro em que eles trafegavam foi atingido por vários disparos de arma de fogo quando passava pelo km 305 da BR-230. O casal foi baleado e, de acordo com a perícia, Guilherme perdeu o controle do veículo, saiu da pista e, quando parou, as vítimas ainda foram atingidas por mais tiros. Algumas cápsulas foram encontradas no local do crime. Nada foi roubado do casal, que há um ano mantinha um relacionamento. Na época, a Polícia Civil descobriu que Tayza Kelly tinha denunciado o ex-marido por ameaça, porque, segundo ela, o ex-policial militar não aceitava a separação nem o novo relacionamento dela.

A partir daí, o ex-PM passou a ser o principal suspeito do duplo homicídio. Nos últimos meses, parentes das vítimas procuraram a polícia para informar que estavam sendo ameaçados pelo ex-policial. Como os levantamentos do caso já confirmavam que o motivo do crime foi passional e que o suspeito seria a pessoa que planejou e mandou executar o casal, foi solicitada a prisão temporária dele.

Arcádio foi preso quando saía de casa, na cidade de São José de Espinharas, no Sertão da Paraíba, a 332 km de João Pessoa, foi levado para a delegacia, ouvido e depois encaminhado para o Presídio da cidade de Patos, também no Sertão, a 307 km da Capital, onde vai aguardar pela audiência de custódia.

“Na manhã desta terça-feira, também cumprimos quatro mandados de busca e apreensão na casa de pessoas investigadas no inquérito do duplo homicídio, mas não conseguimos encontrar as armas usadas no crime. Vamos continuar o nosso trabalho para descobrir e prender os executores do casal. Pedimos a ajuda da população. Quem tiver alguma informação que possa levar a polícia até estes criminosos ligue para o número 197, que é o Disque Denúncia. Não precisa se identificar ”, disse o delegado Elcenho Leite.

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.