Exercício integrado simula operação de segurança da abertura da Olimpíada

18
COMPARTILHE

As forças de segurança envolvidas na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos realizaram na manhã deste domingo (17), há 20 dias da abertura dos Jogos Rio 2016, o 3º Simulado da Operação de Segurança para a abertura da Olimpíada, no Estádio Jornalista Mario Filho, o Maracanã.

Leia mais Notícias no Portal Correio

Desde às 6h que os acessos ao Palácio Itamaraty, no centro da cidade, e ao Maracanã, na zona norte, estão interditados para a simulação do esquema de segurança. A coordenação da operação é da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos, do Ministério da Justiça e Cidadania (Sesge/MJC). As interdições vão até as 12h.

Para o titular da Sesge/MJC, Andrei Rodrigues, a simulação deste domingo servirá para “garantir atenção ainda maior dos profissionais envolvidos na operação ao trabalho a ser realizado no dia da solenidade de abertura dos Jogos Rio 2016”.

A ação será em diversos pontos e vias da zona sul, Barra da Tijuca, Maracanã e centro do Rio, simulando o transporte de atletas, voluntários, árbitros, organizadores e autoridades que participarão do evento no Maracanã.

Mais de 250 ônibus vão percorrer rotas de chegada e de partida tendo como destino o estádio, bem como as imediações do Palácio Itamaraty, o tráfego de veículos está nesses locais.

O simulado contou com a participação de cerca de 2 mil profissionais das policiais Federal, Rodoviária Federal, Militar, Força Nacional de Segurança Pública, Corpo de Bombeiros, Forças Armadas e da Companhia de Engenharia de Tráfego e da Guarda Municipal.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas
páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no
Youtube. Você também
pode enviar informações à Redação
do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

 

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas