Falta de soros faz beb? picado por escorpi?o viajar 100 km para ser atendido na Capital

27
COMPARTILHE

Um bebê de oito meses foi picado por escorpião no município de Guarabira, no Brejo paraibano, na manhã desta sexta-feira (12) e o Hospital Regional da cidade que normalmente dispõe do medicamento estava desabastecida.  A criança teve que viajar cerca de 100km até o Hospital Universitário Lauro Wanderley, em João Pessoa, para ser medicado.

Leia mais Notícias no Portal Correio 

O quadro de desabastecimento atinge 27 dos 31 hospitais que são referência para a aplicação do soro que combate a picada do inseto na Paraíba.

O responsável pelo Núcleo de Controle de Zoonoses da Secretaria de Saúde do Estado, Assis Azevedo, informou que houve uma redução no fornecimento feito pelo Ministério da Saúde em todos os estados do País e a Paraíba está recebendo menos de 20 por cento do que recebia normalmente.

Dos 31 hospitais referência, somente quatro dispõem do soro e estão localizados nas principais cidades do Estado. Na 1ª Macro Região de Saúde, localizada em João Pessoa, o soro está disponível no Hospital Edson Ramalho; na 2ª Macro, em Campina Grande, ele é encontrado no Hospital de Trauma; Na 3ª Macro, em Patos, no Hospital Regional da cidade; e na 4ª Macro, em Cajazeiras, também no Hospital Regional localizado no município.

“A redução no repasse das doses atinge também outros medicamentos afins, como o soro antirrábico”, informou. Assis explicou que a Anvisa baixou normas mais atualizadas sobre os procedimentos de produção e o principal laboratório que fornece os soros ao Ministério da Saúde, o Instituto Butantã, desde o ano passado vem fazendo reformas para se adequar às novas normas e por isso a produção estaria reduzida.

Ele informou, ainda, que o Butantã é responsável pelo fornecimento de cerca de 80% do soro contra picada de escorpião repassado aos estados pelo MS.

 A coordenadora de Imunização da SES, Isiane Queiroga, informou que a redução no fornecimento do soro antiescorpiônico para a Paraíba foi de 700 para 190 ampolas. 

Soro antirrábico

Outro medicamento importante que também teve o fornecimento reduzido e em quase 95% foi o soro antirrábico. A SES recebia em média 1 mil e 500 ampolas e esse número caiu para 80, segundo dados da Coordenação de Imunização da SES.

Para tentar se adequar à nova realidade, Assis informou que medidas foram tomadas para que a população não fosse prejudicada.

“Centralizamos o atendimento em quatro macrorregiões, polarizadas por João Pessoa, Campina Grande, Patos e Cajazeiras, e criamos uma comissão em cada uma delas para analisar os casos e aplicar o soro quando for realmente necessário”, explicou.

As equipes de avaliação e atendimento estarão de plantão das 6h da manhã até a meia noite, de domingo a domingo para atender a população, conforme Assis. Ele informou que, além de contatos através de telefones, foram criados meios para agilizar a comunicação entre as equipes de atendimento através da internet. “Estamos trabalhando para que a população não tenha prejuízos e o atendimento seja feito o mais rápido possível, utilizando inclusive as redes sociais”, disse.

Ele tranquilizou a população dizendo que mesmo se ocorrer um caso em uma cidade distante do Sertão, por exemplo, assim que receber o atendimento e o caso for notificado, a equipe se comunica e critérios como tamanho, local da lesão, tipo de animal, começam a ser avaliados e a perspectiva é que no dia seguinte já se tenha uma decisão sobre o procedimento.

“As medidas são justamente para agilizar o atendimento e as doses serem usadas quando tiver realmente necessidade”, revelou.

Assis disse, ainda, que o Ministério da Saúde não informou quando será normalizado o abastecimento do soro antirrábico. A vacina antirrábica também estava com o fornecimento reduzido e permaneceu pelos últimos três meses. O soro é utilizado juntamente com a vacina, principalmente nos casos mais graves, com destaque para aqueles lesões causadas por animais silvestres.

 Nota do MS

 O Portal Correio contatou o Ministério da Saúde, através da assessoria de imprensa,  que emitiu nota sobre a questão do abastecimento dos soros. Segue nota enviada por email pelo MS na noite desta sexta-feira (12)..

Nota 

De janeiro até a presente data, foram investidos aproximadamente R$ 925 mil na distribuição de 29.005 ampolas de soro antirrábico para todo país. O Ministério da Saúde informa que ocorreram readequações do cronograma de entrega do soro antirrábico em função das reformas dos laboratórios produtores nacionais.

Nos últimos meses, o Ministério tem utilizado seu estoque estratégico para atender às demandas estaduais e encaminha, rotineiramente, informes às secretarias estaduais de saúde sobre as medidas para garantir a oferta dos produtos, otimizar o uso e reduzir possíveis desperdícios. A regularização da situação deve ocorrer nos próximos meses.

 

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas