Início Cultura

FCJA lembra 41 anos da morte do patrono e celebra o Dia Internacional da Mulher

"As mulheres no pomar na Casa de Zé - Memória e saudade" é o tema de live no YouTube
Foto: Divulgação/Secom-PB

Para lembrar os 41 anos da morte do patrono e celebrar o Dia Internacional da Mulher, a Fundação Casa de José Américo vai realizar uma mesa redonda virtual, na próxima quarta-feira (10), às 15h. “As mulheres no pomar na Casa de Zé – Memória e saudade” é o tema da live, que será transmitida pelo canal oficial da FCJA no YouTube.

O evento virtual vai girar em torno de uma roda de conversa. Com mediação da gerente do Museu Casa de José Américo, professora Janete Rodriguez, receberá como convidadas especiais a presidente da Academia Paraibana de Letras, a professora e crítica literária Ângela Bezerra, e a professora Socorro Aragão, ex-presidente da FCJA. Elas farão um passeio pela obra do patrono, destacando o universo feminino mostrado em suas obras, além da convivência dele com as mulheres que passaram em sua vida.

A programação constará também da exibição de um vídeo, com fotos da esposa de José Américo, Alice Almeida. Ativista social e presidente de honra da Associação das Voluntárias, Alice teve um destacado papel na vida de José Américo, tanto no ambiente doméstico quanto na participação administrativa do político, inclusive distribuindo alimentos durante o período de seca. O documentário exibirá cerca de 100 imagens de sua atuação em diversas épocas, até as Bodas de Ouro, pouco antes de falecer.

A professora Ângela Bezerra será a terceira pessoa a integrar a Galeria Virtual Gente de Casa, composta por retratos de pessoas que tiveram alguma relação com o escritor José Américo de Almeida, assinada pelo artista plástico Tônio. Este projeto iniciou em janeiro, destacando a ex-secretária Lourdinha Luna, e em fevereiro o jornalista, escritor, crítico de cinema e agitador cultural Wills Leal. Por fim, uma homenagem à colaboradora mais antiga da FCJA, atualmente, dona Teresinha Botelho.

O escritor e político paraibano, José Américo de Almeida, nasceu no dia 10 de janeiro de 1887, no Engenho Olho d’Água, no município de Areia (PB) e faleceu no dia 10 de março de 1980, aos 93 anos, em sua então residência, hoje Fundação Casa de José Américo, na Capital.

Palavras Chave

Cultura

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.