Início Notícias

Fechamento de leitos eleva taxa de internação em Campina Grande

Campina Grande registrou um aumento na taxa de ocupação de leitos para Covid-19 na cidade. De acordo com a Secretaria de Saúde, a elevação do índice de internação é um reflexo do fechamento dos leitos exclusivos para pacientes com o novo coronavírus do Hospital Universitário e do Hospital de Trauma de Campina Grande, no dia 21 de agosto.

Leia também:

A taxa de ocupação das UTIs, que antes estava abaixo dos 30%, subiu gradativamente e agora está em torno de 48%. O aumento se deve exatamente ao encerramento dos leitos dos hospitais, que eram unidades majoritariamente de UTI. Os leitos de enfermaria seguem com ocupação de 24%.

Anteriormente, Campina Grande tinha 337 leitos do SUS exclusivos para Covid-19. Após a desativação dos leitos do HU e do Trauma, o número de leitos do SUS passou a ser de 253.

“A proporção subiu porque a oferta de leitos de internação caiu, mas não significa dizer que tivemos aumento de pacientes. O número segue estabilizado e, mesmo com essa desativação, temos uma situação confortável”, disse o secretário de Saúde, Filipe Reul. O município tem ainda 84 vagas de internação na rede privada.

A Secretaria Municipal de Saúde segue com todos os leitos do Hospital Municipal Pedro I e do Hospital de Campanha funcionando normalmente, além dos espaços destinados ao atendimento de pacientes com Covid-19 na maternidade do Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea) e no Hospital da Criança e do Adolescente.

Além disso, 15 Unidades Básicas de Saúde de Campina Grande permanecem fazendo a testagem de pessoas com suspeita da doença, e outros três Centros de Testagem foram habilitados pelo Ministério da Saúde para acolhimento dos pacientes, sendo a UBS Maria de Lourdes Leôncio (Cruzeiro), UBS Ricardo Amorim (Malvinas), e o Centro de Saúde do Distrito de São José da Mata.

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.