Início Música

Festival #EuFicoEmCasaPB revela line-up; conheça os artistas participantes

Evento, que terá transmissão online, acontece de 18 a 21 de março com 34 atrações
Festival Eu Fico em Casa
Foto: Divulgação

Foram oito dias de votação e mais de 20 mil votos contabilizados. Desta vez, o público foi quem definiu quais dos 34 artistas inscritos vão participar do festival #EuFicoEmCasaPB – 1 ano. Adeildo Vieira, Beto Preah Parahyba, Chico Limeira, Cristiano Oliveira, Elon, Erick von Sohsten, Escurinho, Lua Alves, Lua Isa, Nathalia Bellar, Pedro Índio Negro, Polyana Resende, Renata Arruda, Sandra Belê, Totonho e Yuri Gonzaga formam o lineup do evento online que acontece de 18 a 21 de março.

O Festival #EuFicoEmCasaPB – 1 Ano é uma realização do Fundo Municipal de Cultura (FMC) – Funjope e Prefeitura Municipal de João Pessoa, com recursos da Lei Aldir Blanc e do Governo Federal. 

Conheça os artistas:

Adeildo Vieira

Adeildo Vieira é compositor do nordeste brasileiro, nascido na cidade de Itabaiana, estado da Paraíba. Iniciou sua trajetória musical em 1984, desenvolvendo projetos culturais de natureza coletiva no Musiclube da Paraíba, entidade de músicos e compositores paraibanos por onde passaram artistas como Pedro Osmar, Chico César, Milton Dornellas, Paulo Ró, Escurinho, Totonho, entre outros.

Beto Preah Parahyba

Baterista escritor e compositor, ministra master classes de ritmos em varias festivais internacionais de música, como o Antuérpia Avam (Bélgica) e Las nuits da Poterie (França), Durante a pandemia fez shows online e deu aulas sobre a percussão brasileira pros alunos da Florida State University (USA).

Chico Limeira

Chico Limeira, compositor e intérprete, poeta de fala mansa e manha esculpida em manhãs de quintal. Derrama olhar preciso e língua afiada para nos trazer canções por onde fala da profundidade do cotidiano, seja ele feito de samba, futebol ou nomes de ruas. Tem álbum na praça vigorando desde 2017. Integrou A Troça Harmônica (disco lançado em 2015), o Sonora Sambagroove e atuou como contrabaixista acompanhando artistas como Totonho, Escurinho e Cátia de França. Com a “intuada” e polêmica canção “Imprópria” venceu o Festival de Música da Paraíba, em 2018. 

Cristiano Oliveira

Cristiano Oliveira nasceu em João Pessoa/Paraíba, viveu toda infância e adolescência em Bayeux. Participou do cavalo marinho do Mestre Gasosa e desse contato com a cultura popular, desenvolveu a paixão pela viola caipira. Vivendo na cidade, fez redescobrir entre as 10 cordas da viola várias potencialidades deste instrumento. No ano 2000 participou com a banda As Parêa, uma escola musical na sua carreira. Atualmente, executa os experimentos da viola em forma de aulas e diversos diálogos artísticos, presentes no DVD (em forma de show-aula), recentemente lançado, “Tudo Tem Viola”. Tem um trabalho consolidado e eclético, com diversos artistas na Paraíba, como Cátia de França, onde faz a direção musical de seus shows no Nordeste.

Elon

Elon é artista natural da cidade de Pombal, sertão da Paraíba e, tendo ganhado notoriedade na cena musical paraibana através dos projetos dos quais faz parte, se prepara para uma série de lançamentos em 2021. Para este festival, prepara um pré-lançamento do seu novo trabalho, “Tateia”, um álbum que provoca o encontro de sua poesia e interpretação com a sensibilidade, o experimento e a entrega do músico Helinho Medeiros no teclado.

Erick von Sohsten

Com 39 anos de música, o cantor e compositor paraibano Erick von Sohsten, já atuou como apresentador de TV, professor, produtor, coordenador e diretor musical. Possui 4 álbuns autorais: “Armadura”, “Sine Qua Non”, “Zaraquê Trio ao vivo” e “Passatempo”. Em 2012, sua canção ‘Do Meu Lado” entrou na trilha da novela Rebelde da Rede Record. Atualmente é diretor de criação do “Compondo Sua Vida”, eternizando as histórias de pessoas em formato de canções e prepara seu quinto álbum autoral.

Escurinho

Compositor, percussionista e intérprete performático, Escurinho traz em sua música uma poesia urbana de caráter social, com um trabalho que agrega regionalismo com pesquisas de sons indígenas e africanos, numa combinação explosiva com o rock. Em 2020, o mestre Escurinho completou 40 anos de carreira artística. Desta vez, ele apresenta seu novo projeto “Versinhos de amor e de afeto”, em que, inspirado na tradição de trabalhadores rurais do vale do Jequitinhonha, o artista faz versos sob encomenda.

Lua Alves

Lua Alves nasceu em Alagoa Grande – PB e começou a compor suas primeiras canções ainda na adolescência. Seu amor pelas artes vai além da música: Lua escreve poesias, pinta quadros e desenha. A música, junto com a poesia, têm sido suas maiores expressões e são tão variadas quanto suas influências, que vão das raízes regionalistas ao rock psicodélico ao tropicalismo. Experimentalismo é uma de suas maiores ferramentas.

Lua Isa

Cantora, instrumentista e compositora, tem 20 anos de carreira a solo e como vocalista da Banda Pássaro Amarelo. Ao longo de sua trajetória, já viajou, cantando e se apresentando, levando a música paraibana pelas cidades do Brasil.

Nathalia Bellar

A cantautora Nathalia Bellar é um dos principais nomes da nova safra musical paraibana. Com quase 15 anos de trajetória artística e projetos importantes para a cena, em 2020 ela lançou seu primeiro álbum em estúdio, o “Catavento”, no qual também assina a direção artística. Seu trabalho dialoga com a música POP e traz um recorte moderno da poética nordestina, com forte discurso social.

Pedro Índio Negro

Cantor, compositor e ilustrador pessoense, bebe na fonte de uma família de expressiva atuação no cenário cultural paraibano. Seu trabalho autoral tem os pés na cultura popular afro-nordestina e ao mesmo tempo no rock lisérgico dos anos 60-70. Já com 4 EPs lançados por seus vários projetos musicais, agora está em processo de gravação de seu primeiro álbum solo.

Polyana Resende

Polyana Resende é cantora e compositora radicada em João Pessoa/PB. Artista atuante na cena musical local, lançou em 2017 meu primeiro álbum ‘Samba Teimoso’ e também dois vídeos clipes; em 2018, lançou o o single Um Samba a Dois com seu respectivo clipe. Foi a primeira mulher a compor um samba enredo para uma escola de samba da Paraíba. É a compositora da trilha sonora do curta-metragem “O Pato” e integrante do projeto “Sanhauá Samba Clube”.

Renata Arruda

Nasceu em João Pessoa, Paraíba. Cantora, compositora e poetisa, aos 19 anos, após participar de um show de Altamiro Carrilho cantando “Nunca” (Lupicínio Rodrigues), recebeu um elogio, de fundamental importância, de Elizeth Cardoso: “Essa menina interpretou essa música como todas as cantoras deveriam cantar. Porque ela cantou com a voz, com o corpo e com a alma”. Lançou nove CDs e dois DVDs e participou da trilha sonora de quatro novelas. A cantora e compositora traz na bagagem parcerias com Mongol, Sandra de Sá, Zé Ricardo, Maria Carmem Barbosa, Nando Cordel, Antônio Villeroy, Ana Terra, Lúcia Veríssimo, Bebeto Alves, Dannah Costa, Chico César, Zélia Duncan, Paola Torres, Paulinho Galvão, José Augusto e Pedrin Gomes.

Sandra Belê

Dona de uma voz marcante e presença de palco envolvente, Sandra Belê dispõe do talento e da atitude que compõem uma grande artista. A cabocla natural da pequena cidade de Zabelê, cidade de apenas 2000 habitantes localizada no Cariri paraibano, carrega a cidade não só no nome e nas lembranças, mas na força, na ousadia e na criatividade que marcam presença em seus trabalhos como cantora, atriz e apresentadora de Rádio e TV. Em setembro de 2020, lançou seu quinto disco em todas as plataformas digitais, o “Cantos de Cá”. Em novembro fez o show de lançamento do albúm numa live inesquecível na comemoração dos “20 Anos da Energisa Paraíba”. Para o Festival apresentará o “Cantos de Cá” em versão voz e viola, com o músico Rodolfo Lopes, em formato intimista e poderoso.

Totonho

Totonho é natural de Monteiro. Ele fundou seu arquétipo de composições a partir da rica cena de repentistas locais e ícones da poesia nordestina. Um de seus álbuns, “Samba Luzia Gorda”, esteve entre os 100 melhores discos de 2018 segundo o ranking Melhores da Música Brasileira, do site especializado Embrulhador.

Yuri Gonzaga

Yuri Gonzaga é músico paraibano, possui formação em Música Popular pela UFPB e é fundador da banda Os Gonzagas, vencedora do Festival de Forró de Itaúnas (2013) e semifinalista do programa Superstar (Globo/2015). Com ela, lançou 3 álbuns e diversos singles, se apresentou e gravou com grandes nomes da nossa música, como Elba Ramalho, Chico César e Flávio José, e em diversos palcos pelo Brasil e no exterior.

Sobre o evento

O que começou com 30 pessoas num grupo de WhatsApp, tornou proporções significantes. Entre março e maio de 2020, o webfestival #EuFicoEmCasaPB agregou bandas, atores, dançantes e escritores para um grande movimento cultural durante o cenário atual de pandemia. A iniciativa foi idealizada pela produtora cultural Dina Faria, que deu o pontapé inicial para que artistas e agentes culturais se unissem pela conscientização da população em se precaver contra o coronavírus, principalmente a partir do distanciamento social. 

O festival apareceu como um alerta para a importância de ficar em casa enquanto mantém a classe artística viva, já que com comércios e eventos parados, a categoria, que vive de cachês e ingressos, é uma das grandes afetadas no cenário do Covid-19. Através de “chapéu virtual”, o público pôde fazer doações de dinheiro para os artistas que vivem de suas artes em tempo integral. 

Juntando as quatro edições, o #EuFicoEmCasaPB alcançou 290.000 pessoas no Brasil, Espanha, Portugal e Argentina, além de contabilizar mais de 40 mil visualizações no YouTube. Durante as 60h de transmissão, 111 atrações se apresentaram no evento.

Em dezembro, o festival #EuFicoEmCasaPB venceu o Prêmio Criativos 2020 de João Pessoa – PB; em 2021, venceu o I Prêmio Toroh de Música Independente da Paraíba na categoria Melhor Evento/Festival.

Palavras Chave

EntretenimentoMúsica
publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.