Moeda: Clima: Marés:

Florais como alternativa: usar ou não?

Coordenadora do curso de Terapias Integrativas e Complementares do EAD Unipê explica os benefícios e cuidados que as pessoas devem ter no uso de florais

Com os altos índices de diagnósticos de depressão, ansiedade e demais transtornos psicológicos, muitos medicamentos são procurados e usados para ajudar no tratamento da saúde mental da população. E nesse cenário uma alternativa terapêutica pode ser aliada: o uso de florais. No entanto, ainda se tem dúvidas sobre esses compostos e os cuidados que se deve ter no tratamento.

Segundo a professora de Terapias Integrativas e Complementares do EAD Unipê, uma das Instituições certificadoras da Cruzeiro do Sul Virtual, Nilza Maria Coradi de Araújo, os florais são essências derivadas de flores que atuam no equilíbrio mental e emocional das pessoas. “Existem diferentes tipos de florais, como o Terapia Floral Bach, Australianos, Californianos, de Minas, Saint Germain, entre outros. E dentro desse universo, cada um é responsável por auxiliar a pessoa em sua “dor” ou dificuldade pessoal.”

“Cada essência possui uma ação específica para cada situação, por exemplo, tem as que atuam na melhora do medo, indecisão, falta de interesse, falta de energia, solidão, sensibilidade, opinião alheia, desespero, fanatismo, intolerância, e outros”, explica a professora.

Por ser algo de certa forma novo no mercado, muitas pessoas ainda têm dúvidas a respeito dos florais, medo de reações e se de fato é eficiente. A professora Nilza ressalta que estes não apresentam nenhum efeito colateral. “Pelo contrário, os florais acalmam, fortalecem a autoestima e a tomada de decisão, também estimulam a pessoa a lutar, superar traumas, trazendo alívio, conforto, esperança e qualidade de vida. É um processo de auto percepção e eles são recomendados para todas as idades sem contraindicações. Por isso, podem ser utilizados enquanto as pessoas fazem tratamento com medicamentos convencionais contínuos.”

Além disso, não há necessidade de prescrição médica. Os florais podem ser escolhidos pela própria pessoa ou com o apoio de um terapeuta integrativo. Esse profissional irá realizar o aconselhamento do melhor floral para o equilíbrio emocional e da personalidade daquele indivíduo.

Entretanto, a profissional destaca que não é interessante associar muitas essências florais ao mesmo tempo. “O recomendado é iniciar com 4-6 essências para que a pessoa possa realizar um processo de autodescoberta de forma consciente e com foco nas prioridades.”

A docente orienta ainda, que os florais podem ser utilizados na forma de gotas ou em glóbulos. “Recomenda-se que sejam usados 30 minutos antes ou depois das refeições. No caso dos bebês, para facilitar o uso, podem ser diluídos em água ou suco. Os florais apresentam resultados positivos nas situações de perda de controle, pressão arterial, ansiedade, depressão, insônia, estresse, angústia, medo, tristeza, raiva e impaciência. Também contribuem para que a pessoa possa se sentir bem consigo mesma, no ambiente em que vive e enfrentar com consciência as dificuldades que terá que passar durante sua vida”, ressalta.

Por fim, ela ressalta que a orientação do Tecnólogo e Terapeuta integrativo durante o uso dos florais é essencial para o processo de autoconhecimento e mudança de estilo de vida das pessoas interessadas pela floralterapia. “De forma geral, esse profissional tem habilidades e competências para propor um plano terapêutico seguro, eficaz e capaz de proporcionar saúde e bem-estar mental e físico”, finaliza.

Comentários

Deixe seu comentário
Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2022. Portal Correio. Todos os direitos reservados.