Início Esportes

FPF demite presidente da Comissão de Arbitragem da PB

A Federação Paraibana de Futebol (FPF) anunciou nesta sexta-feira (20) a mudança na presidência da Comissão Estadual de Arbitragem (Ceaf). Um dos principais alvos das investigações da Polícia Civil e Ministério Público da Paraíba, através da Operação Cartola, o ex-árbitro José Renato Soares não responde mais pelo órgão. Para substituí-lo, o presidente Amadeu Rodrigues convidou o coronel Marcos Sobreira e o major Juceilton Soares, oficiais da Polícia Militar da Paraíba.

Leia também:

A oficialização foi feita após uma conversa entre o presidente Amadeu Rodrigues, o diretor executivo Eduardo Araújo e os policiais.

Com a mudança, a arbitragem paraibana volta a ser comandada por um militar, prática comum nas entidades que organizam o futebol em todo o país. Na Paraíba, isso não é a primeira vez que acontece, já que outros policiais também ocuparam a mesma função na FPF como o coronel Kelson Chaves e o tenente Marcílio Braz (esse que até hoje faz parte da entidade paraibana).

“Não estamos colocando culpa ou acusando ninguém, mas precisamos reconquistar alguns espaços. Os árbitros paraibanos estão punidos junto à CBF e o trabalho não pode parar, por isso, estamos promovendo essa mudança. O trabalho deles já começa agora no Paraibano sub-15 e vai se estender a todas as competições”, falou Amadeu.

Com o nome envolvido na Operação Cartola, José Renato Soares é investigado por integrar um suposto esquema de manipulação de resultados e sorteios de arbitragem, o que haveria beneficiado clubes e dirigentes em jogos do Campeonato Paraibano deste ano.

Na semana passada, a Comissão Nacional de Arbitragem decidiu afastar todos os árbitros paraibanos que também estão na mira da Polícia Civil e do Ministério Público. Os árbitros Éder Caxias, João Bosco Sátiro, Renan Roberto e Diego Roberto, além dos assistentes José Maria de Lucena Netto e Luís Felipe estão impedidos de trabalhar em qualquer competição organizada pela CBF, até que as investigações tenham uma conclusão. José Renato e Severino Lemos, que atuava como auxiliar na Comissão Estadual também estão afastados pela entidade máxima do futebol brasileiro.

O CORREIO DA PARAÍBA tentou contato com o ex-presidente José Renato Soares por telefone, mas não obteve êxito.

Os escolhidos

Amadeu disse que o coronel Sobreira e o major Juceilton são identificados com o esporte e, inclusive, o segundo é quem cuida do setor de educação física do Centro de Ensino da Polícia Militar da Paraíba. Já o primeiro, atualmente preside a Caixa Beneficente da PM. Como a comissão é autônoma, os dois vão decidir quem responderá como presidente.

“Fico feliz em ter sido convidado para essa missão. Fiz um curso de arbitragem na década de 80, mas pelas atividades que assumi na PM à época, não tive condições de atuar. Agora terei essa oportunidade e para mim é motivo de orgulho”, falou Juceilton.

Por: Raniery Soares, do Jornal Correio da Paraíba

Comentários

  • francisco rolim pinheiro disse:

    Deixaram o campeonato terminar pra soltar a bomba, dessa lama toda em que está metido o futebol paraibano, a mesma coisa vai ser com o governo, vai ser julgado quando acabar o mandato…É a Paraiba evoluindo pra baixo, no futebol e na politica.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.