Início Geral

Frutos saborosos…

O disse-me-disse, racha, democracia, diálogo, o que quer que esteja acontecendo dentro do PMDB na Paraíba, já está rendendo frutos e não são nada saborosos.

Resultado: nem Raimundo Lira, nem José Maranhão. Quem deve ficar mesmo com o comando da Comissão de Constituição e Justiça do Senado é Edison Lobão, que também é do PMDB. Brigaram tanto que esqueceram dos ‘vizinhos’.

Após reunião no gabinete da Liderança do PMDB, leia-se como presidente o senador Renan Calheiros, a cara de Raimundo Lira já dizia tudo: #xatiado. Não quis falar com a imprensa, preferiu se resguardar.

O senador paraibano ganhou destaque, e notoriedade nacional, após presidir a Comissão de Impeachment da então presidente Dilma Rousseff, recebendo elogios da oposição e situação, algo raro no Congresso Nacional.

A questão é que a disputa interna, acredito eu, além das pressões externas de grupos do PMDB em geral e muito ligados ao líder do partido, tenha sim interferido na decisão de Renan, com o aval do aliado, o ex-senador José Sarney. Cada um tentando salvar a própria pele.

É aquela história de sempre, a desunião não faz a força. Em tempos de nuvens negras sob o céu de Brasília, melhor repensar estratégias para não perder os espaços que vêm sendo conquistados, não só pelo PMDB, mas pela Paraíba como um todo.

Jair do ‘povo’

Em um período de descrédito da classe política, de operação Lava Jato, o deputado federal Jair Bolsonaro ‘fechou’, literalmente, Campina Grande, na tarde de ontem. É aquele que ninguém quer ver sentado na cadeira do presidente, mas, eu disse mas… Podem querer ver, e aí que mora o perigo, só para ver o circo pegar fogo.

União 1

Das duas, uma: ou a transposição une oposição e situação na Paraíba – não importa quem é pai ou mãe da obra – ou não vai andar. Na terça-feira, parte da bancada esteve com o ministro Hélder Barbalho.

União 2

Agora, só senti falta dos governistas paraibanos. Estavam Tovar Correia Lima, Camila Toscano, Renato Gadelha e Bruno Cunha Lima. Será que não foram convidados?

Ficha nebulosa

“O Alexandre [de Moraes] tem uma ficha nebulosa”. Foi o que afirmou o petista Frei Anastácio sobre a indicação do ex-ministro da Justiça para ocupar vaga no Supremo Tribunal Federal.

Pedido de ‘ré’

Agora, vamos combinar que o pedido do ex-presidente Lula para que o STF reveja sua nomeação como ministro já passou do tempo né fi. Não cabe comparativos mais.

Despesas à parte

A defensora pública-geral da Paraíba, Madalena Abrantes, comunicou ao TJPB que os advogados dativos, nomeados em Termos de Audiência para prestar assistência judiciária gratuita, não mais serão custeados pela Defensoria Pública, devido à falta de autorização legal, devendo esse pagamento ser feito pelo Tesouro Estadual.

Candidato

Presidente da Federação dos Trabalhadores em Serviços Públicos no Estado da Paraíba, Fernando Borges vai disputar uma vaga de deputado federal nas eleições gerais do próximo ano. Borges é filiado ao PP.

Muito vivo

O deputado estadual Frei Anastácio afirmou, ontem, que o PT da Paraíba “está muito vivo” sob o comando do professor Charlinton Machado.

Voto de pesar

Na primeira sessão presidida pelo desembargador Joás de Brito, ontem, o TJ aprovou voto de pesar pela morte do procurador Marcos Navarro. O autor foi o desembargador Osvaldo Trigueiro Filho.

Muito tempo

Após dois anos, a CPI da telefonia será, finalmente, encerrada pela Assembleia Legislativa, segundo o deputado João Bosco Carneiro Júnior.

Palavras Chave

Portal Correio

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.