Início Entretenimento

Funesc exibe segundo episódio da série ‘A Hora de Clarice’

A Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) exibe, neste sábado (19), às 17h, o segundo episódio de ‘A Hora de Clarice’, série de programas semanais que têm como base as obras de Clarice Lispector, celebrando o centenário de nascimento da escritora. Com o título “Quero escrever o borrão vermelho de sangue”, o programa desta semana tem direção de Tony Silva e atuação de Léo Palma (Soraia Queimada). As exibições acontecem no canal TV Funesc no YouTube.

O título faz menção ao livro ‘A Hora da Estrela’, de autoria da homenageada. A obra foi adaptada para o cinema no ano de 1985, numa produção dirigida por Suzana Amaral e protagonizada pela paraibana Marcélia Cartaxo. O projeto consiste em uma minissérie online composta por seis episódios com duração de 5 a 15 minutos baseados na obra da escritora. O primeiro episódio, intitulado ‘Mulher Delírio’, continua disponível online e é encenado pela atriz e diretora Suzy Lopes sob direção de Tony Silva.

A apresentação fica por conta da atriz Suzy Lopes e cada programa tem um formato próprio de acordo com a obra escolhida e estética própria de acordo com a equipe que estiver à frente de cada produção. Trata-se de uma construção coletiva idealizada pela coordenação de teatro da Funesc e que conta com engajamento de outros setores da Fundação.

Episódio 2 – “Quero escrever o borrão vermelho de sangue” – Inspirado em poema homônimo. O vídeo tem atuação de Léo Palma na pele da drag Soraia Queimada, também responsável pela seleção de texto, maquiagem e direção de arte ao lado de Tony Silva. A música é assinada por Jader Finamore, fotografia de Rafael Faria e Thercles Silva; Bruno Carneiro atua fazendo o som direto e como assistente de câmera. Edição de Thercles Silva; iluminação de Eloy Pessoa; figurino de Vinícius Dadamo; arte de Arturo Antony, assessoria de imprensa de Ana Felipe e coordenação geral do projeto assinada por Suzy Lopes e Rafael Faria.

Produção: Funesc / Presidente: Walter Galvão / Vice-presidente: Pedro Santos / Diretora DDAC: Renata Mora / Diretora de eventos: Dora Figueredo /Gerência de teatro: Suzy Lopes.

Clarice Lispector (1920-1977) – Romancista, contista, cronista, tradutora e jornalista. Clarice Lispector pertence à terceira fase do movimento modernista e imprimiu em suas obras uma literatura intimista, de sondagem psicológica e introspectiva, com mergulhos no pensamento e na condição humana. Em 2020, uma série de eventos pelo país celebram o centenário do nascimento da escritora que nasceu em Tchetchelnik, uma aldeia da Ucrânia, então pertencente à Rússia. Seu nome de nascença é Haia. Os pais, judeus russos, decidem emigrar três anos após a Revolução Bolchevique de 1917, devido à violência e a constante perseguição antissemita. A família chegou ao Brasil em 1922, na cidade de Maceió, adotando novos nomes.

A literatura clariciana traz como características elementos como o fluxo de consciência, monólogo interior e a ruptura com o enredo factual. As temáticas são existenciais e psicológicas. Outra marca de sua literatura é o uso da epifania – momentos em que alguma das personagens (no geral, femininas) passam por uma revelação ou uma tomada de consciência diante de um fato do cotidiano.

Serviço: A Hora de Clarice (série online)
Episódio #2 – “Quero escrever o borrão vermelho de sangue”
Direção: Tony Silva
Atuação: Léo Palma (Soraia Queimada)
Exibição: 19/12, às 17h
Local: TV Funesc no YouTube

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.