Início Geral

Futebol de rob?s em JP atrai torcidas, que lotam arquibancadas e vibram a cada gol

As partidas de futebol
disputadas entre as seleções de robôs lotam as arquibancadas das arenas
montadas na RoboCup 2014, que está sendo realizada até a próxima quinta-feira
(25), em João Pessoa, no Centro de Convenções ‘Poeta Ronaldo Cunha Lima’. Os ‘torcedores’
vibram a cada gol, como se estivessem assistindo uma disputa em um estádio. Uma
bola na trave, um ‘drible’ e até uma defesa do goleiro são motivos para uma
reação das arquibancadas.

Leia também

Dominando 22 línguas, robôs dançam Michael Jackson, PSY e podem revolucionar educação

* Público pode conferir competições da RoboCup 2014 até esta quinta 

 Na Copa do Mundo de Robôs, a Seleção Brasileira que disputa a categoria humanoide teensize, repetiu um feito histórico. Foi goleada pela Seleção da Alemanha. desta vez por um placar mais elástico do que o registrado na semi-final da Copa do Mundo da Fifa. O alemães aplicaram uma sonora goleada de 11 a 1.

A Seleção Brasileira da categoria é foramda por equipe de robôs que tem à frente alunos da Universidade Federal de Uberlância, em parceria com a Faculdade de Engenharia Industrial (FEI), de São Bernardo do Campo (SP).

Foram Mais três derrotas e um empate por 0 a 0 contra o time Team MU-L8, dos Estados Unidos. Ao todo, foram 20 gols sofridos e apenas um marcado. No último jogo, o time foi derrotado por 1 a 0 para o AUT-UofM, do Canadá.

O time NimbRo Teensize, da Alemanha, terminou em primeiro lugar do grupo.

Considerado um dos
maiores eventos tecnológicos do mundo, este campeonato foi criado em 1997 no
Japão com o propósito de construir até o ano 2050 uma equipe de robôs capaz de
ganhar uma partida contra a seleção vencedora do Mundial da Fifa.

Leia mais Notícias no Portal Correio

Também chamam a atenção
dos visitantes as oficinas, simpósios, exposições interativas e workshops. O
aposentado João Batista levou o neto, João Arthur, de 6 anos de idade, para
assistir às disputas e demonstrações das equipes. “Acho importante para a
questão da aprendizagem. Até para a gente que é adulto é um mundo diferente. A
medida que as crianças vão se divertindo, também vão aprendendo”, comentou o
avô.

O pequeno João Arthur,
por sua vez, completou a fala do avô e fez questão de falar sobre as
impressões. “Um dos robôs que eu mais gostei foi esse que sobe e desce escadas.
Também gostei daqueles que jogam bola e do outro que é pequeno e tem uma
rodinha”, citou.

O policial Kleber
Fagner Monteiro saiu de Guarabira para conhecer a RoboCup 2014 com a família.
“O meu filho ficou animado para vir porque ele adora futebol e queria ver os
robôs jogando. É impressionante a quantidade de gente de vários países do mundo
que está aqui”, observou.

Kauan, filho de Kleber,
tem 7 anos de idade e estava tão encantado com o mundo da robótica que mal
conseguia dizer o que mais havia gostado. “Eu acho que foi do futebol mesmo. E
também gostei desse robô que se mexe, como se fosse um guindaste”, destacou.

No primeiro dia de competições, a Paraíba se destacou na categoria
RoboCup Júnior do campeonato mundial de robótica. A equipe, que foi campeã
nacional no ano passado, incluiu na performance ritmos como forró, samba, frevo
e hip hop.

Para a coordenadora de robótica do município de João Pessoa, Sineide
Andrade, a Paraíba é um dos times com boas chances de ser campeão. “São 12
países disputando. Acho que temos muita chance de vencer. Pesquisamos vídeos de
apresentações em outros mundiais e estamos bem preparados”, afirmou. 

As finais de todas as
categorias acontecem na próxima quinta, sendo as principais das 9h às 17h e as
juniores, das 9h às 15h. Os vencedores vão ganhar troféus e a equipe campeã da
categoria humanóide AdultSize (tamanho adulto) ficará, durante um ano, com a
taça Louis Vuitton, esculpida em cristal e desenhada especialmente para a
RoboCup. Na sexta não haverá competições, apenas workshops para os
participantes.

O campeonato de robôs é
um projeto organizado mundialmente pela RoboCup Federation, que equivale à Fifa
para o futebol. O evento acontece em um país diferente a cada ano. Quando há
Copa do Mundo, o torneio é realizado, preferencialmente, na nação sede do
mundial.

No Brasil, o torneio é
organizado pela Sociedade Brasileira de Computação, em parceria com dezenas de
universidades nacionais. Também há empenho de mais de 400 professores
voluntários, com o apoio do Ministério do Turismo. Ao todo, são mais de 400
times inscritos, que somam 4 mil competidores de 45 países. O evento começou no
sábado (19).

 

Palavras Chave

Portal Correio

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.