Início Geral

Geraldo Azevedo faz show neste s?bado no Festival de Artes de Areia

O cantor e compositor pernambucano Geraldo Azevedo e o trio de forró Os 3 do Xamego fecham a programação deste sábado (19), penúltimo dia do 15º Festival de Artes de Areia. Entre as atividades estão oficinas, espetáculo infantil, mostras de cinema, contação de histórias, circo e música instrumental.

Leia mais notícias em Entretenimento no Portal Correio 

Quatro artistas irão fazer um painel coletivo de graffiti na cidade. Das 9h às 17h, Thaynara Negreiros (Thaynha), Thayroni Arruda (Gorpo), Fábio dos Santos (Fábio Nosferatus) e Mozileide Neri estarão nas ruas de Areia, nas imediações do polo Caminito.

A partir das 10h, no polo Glauber, o grupo paulista Barbatuques vai ministrar a última oficina do evento, sobre linguagem de música. Voltada para crianças entre 6 e 12 anos, “Jogo de Tabuleiro” vai apresentar jogos rítmicos com diferentes recursos fonéticos. Às 16h, no polo Gracias a la Vida, o grupo também apresenta o espetáculo infantil “Tum Pá”, mostrando jogos rítmicos com pés e palmas, melodias e cantos, além de imitação de instrumentos musicais.

O sábado ainda traz duas mostras de cinema no polo Glauber, sendo a primeira infantil, exibindo, a partir das 14h, os filmes: “Direita é a mão que escreve”, dirigido por Paula Santos, do Rio de Janeiro; “Campeonato de Pescaria”, Luiza Lins e Marco Martins, de Santa Catarina; “Com os Pés na Cabeça”, de Tiago Scorza e Gabriela Dalmasso, do Rio de Janeiro; e “A Patrulha do Xixi no Banheiro”, de Michael Valim, de Goiás. Já às 19h, acontece a mostra de curtas com “Sophia”, dirigido por Kennel Rógis, de Coremas; “A Queima”, de Diego Benevides, João Pessoa; “Capela”, de Ramon Batista, da cidade de Nazarezinho; “E”, dirigido por Alexandre Wahrhaftig, Helena Ungaretti, Miguel Ramos, de São Paulo; e “Tomou Café e Esperou”, que tem direção de Emiliano Cunha, de Porto Alegre.

Usando os instrumentos típicos dos terreiros de Candomblé, como atabaques, abês e agogôs,o Afoxé Omim Sabá, de Olinda, traz o Ijexá como base, utilizando também outros ritmos encontrados na religião de matriz africana. O grupo de cultura popular se apresenta no polo Carbureto, às 17h.

Desde a sua criação, em 1996, o Abba Circus, de São Paulo, estabeleceu um trabalho de pesquisa que revitaliza o teatro, se apropriando da fusão de linguagens e citações da cultura popular. Em cartaz, desde 1999, “Anunciação” é um folhetim romanceado que narra o encontro dos palhaços Carlão e Fiorina que se apaixonam no picadeiro. O espetáculo é uma releitura do circo tradicional com abordagem moderna apresentando uma variedade de sons e ritmos durante a narrativa e traz em cena Patrícia Lemos e Francisco Rolim. “Anunciação” será encenado neste sábado, às 19h, no polo Gracias a la Vida.

A música instrumental também acontece no 15º Festival de Artes de Areia, sendo representada pelo grupo pessoense Tryá. O trio formado por Danielly Dantas, no clarinete, Mariana Duarte, na flauta transversal, e Rainere Travassos, no contrabaixo, executa músicas de compositores da cena Nordestina. O Grupo nasceu da vontade de explorar e pesquisar novas sonoridades, unindo tradição e modernidade. A apresentação acontece neste sábado, às 19h, no polo Piazolla, na Igreja do Rosário.

No polo Gracias a la Vida, às 20h, Mariane Bigio e Mila Bigio encenam a contação de histórias “Luz, Sombras…Contação!”, um espetáculo de contos da literatura universal que utiliza o recurso do teatro de sombras. Os contos Chapeuzinho Vermelho, Os três porquinhos, Cachinhos Dourados, e São Jorge e o Dragão ganham um encanto especial contados na voz da poetisa e contadora de histórias Mariane Bigio, que também tem experiências de canto popular. As histórias são permeadas por cantigas que complementam a narrativa, tendo a multi-instrumentista Milla Bigio executando a sonoplastia e criando uma atmosfera lúdica.

No mesmo horário, no polo Boal, o Grupo Arte e Fatos, de Goiânia, apresenta o espetáculo “Balada de um Palhaço”. Fundado pelo diretor Danilo Alencar, em 1998, a Companhia faz parte do Programa Cultural da Universidade Católica de Goiás. Os atores Bruno Peixoto e Edson de Oliveira encenam o texto de Plínio Marcos que narra a história de Bobo Plin, um personagem que carrega em seu contexto a universalidade. No debate que a personagem trava com o seu companheiro, Menelão, transparecem as tragicômicas situações de uma sociedade perdida entre o sonho e a realidade.

Formada em 2006, a banda pessoense Baluarte sobe ao palco neste sábado às 22h no polo Science. O Grupo possui um CD lançado em 2009, intitulado de Semaforizado. Logo em seguida é a vez do pernambucano Geraldo Azevedo cantar sucessos como “Dia de Branco”, “Dona da minha cabeça” e “Canção da Despedida” para o público do 15º Festival de Artes de Areia. Para encerrar o penúltimo dia do evento, o trio de forró Os 3 do Xamego, de Areia, tocam no polo Carbureto.

Palavras Chave

Portal Correio

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.