Hemocentro da Paraíba recebe 2,5 mil doações de sangue por mês e precisa chegar a 6 mil

Tovar Correia Lima (Foto: Divulgação)

O início da pandemia causada pelo coronavírus afetou diretamente as doações de sangue em todo o Brasil, principalmente na Paraíba. O Hemocentro no estado possa por dias difíceis na queda do estoque, tendo uma média de 2,5 mil a 3,2 mil doações por mês, quando o essencial para manter o estoque abastecido seria de seis mil doações por mês. No Dia Mundial do Doador de Sangue (14 de junho), o deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB) destacou a Lei 10.636/2016, de sua autoria, que trata sobre o incentivo à doação de sangue, por meio da campanha ‘Junho Vermelho’.
 
“O ‪Junho Vermelho é um projeto de nossa autoria criado para incentivar a doação de forma espontânea em todo o Estado. Vamos promover uma grande corrente de solidariedade e de amor ao próximo, principalmente nesse momento de baixa nas doações por conta da pandemia causada pelo coronavírus. Esse é um momento de intensificarmos as doações em todo o estado”, destacou o deputado.
 
De acordo com o deputado, a Lei estabelece que a campanha de incentivo à doação de sangue será realizada por meio de ações realizadas a cada mês de junho e ficarão a cargo dos órgãos públicos estaduais e municipais, fazendo parte do calendário anual de realização da pasta.
 
Com a Lei, fica autorizada a Secretaria de Saúde do Estado da Paraíba e as Secretarias Municipais a realizarem a cada ano a critério dos seus gestores, em cooperação com a iniciativa privada, com entidades civis e organizações profissionais e científicas, campanhas de incentivo e conscientização visando aumentar o número de doadores e os postos de coleta de sangue no Estado.
 
Critérios para doação de sangue
 
•          Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação seja realizada antes dos 60 anos de idade e doadores menores de 18 anos precisam estar acompanhados de um dos responsáveis legais (pai ou mãe);
•          Apresentar documento de identificação com foto emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Carteira Nacional de Habilitação, Carteira de Trabalho);
•          Estar bem de saúde e pesar mais de 50 kg;
•          Não estar em jejum e ter dormido, pelo menos, 6 horas no dia anterior;
•          Evitar alimentos gordurosos por 3 horas antes e não ingerir bebida alcoólica 12 horas antes;
•          Tatuagem, micropigmentação e piercing impedem a doação por 1 ano;
•          Moradores e visitantes do município de Conde e região estão inaptos temporariamente para doação
•          Candidatos à doação que tiveram covid-19 ficam inaptos por 30 dias após a cura, estando totalmente sem sintomas.
 
Intervalo entre uma doação e outra
 
Homens – 2 meses (máximo de 4 doações no período de 12 meses)
Mulheres – 3 meses (máximo de 3 doações no período de 12 meses)

Comentários

  • Lucas disse:

    Sou doador, e sei como tá difícil a situação, mas também o pessoal não se ajuda né? Porque os órgãos públicos estadias e municipais não fazem parceria com as privadas para elas serem novos pontos de coleta? Digamos que as propagandas surtam efeito e as pessoas queiram ajudar, causará aglomeração no hemocentro. Outro ponto é que sabemos como brasileiro funciona, na base do “venha a nós”, não adianta querer se pagar de santo achando que será apenas boa vontade, a maioria não comprará a idéia, então pensar em formas de tornar algo vantajoso para quem doa, exemplo: doadores não precisarem repor bolsas de sangue caso precise passar por alguma cirurgia, claro que isso sendo monitorado quantas vezes a pessoa doou, controlando através do CPF cadastrado. Não me surpreenderia caso não tivessem nem o controle disso,afinal…”this is Brazil”…. Ou você torna atrativo, ou torna acessível

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.