Operário fazia serviços no novo plenário (Foto: Alexandre Freire/Portal Correio)

Operários sofrem descarga elétrica na ALPB

Operários, um de de 42 anos e outro de 28, ao chegarem ao Trauma, passaram por procedimentos médicos de emergência

451
COMPARTILHE

Dois operários sofreram um choque elétrico nas dependências da Assembleia Legislativa da Paraíba, na manhã desta quarta-feira (11), em João Pessoa. De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, os homens realizavam serviços elétricos no recém-inaugurado plenário quando receberam a descarga. As vítimas são funcionários da empresa terceirizada responsável pela obra e fazia serviços no carpete.

A assessoria do Corpo de Bombeiros ainda informou que eles foram conduzidos até o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa em uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Os operários, um de de 42 anos e outro de 28, ao chegarem ao Trauma, passaram por procedimentos médicos de emergência. Um deles segue em observação, com o quadro clínico regular e o outro ainda estava sendo atendido no momento da liberação do boletim do hospital. De acordo com o boletim, eles estão conscientes e orientados.

Como a obra no entorno do plenário ainda não está totalmente concluída, alguns acessos até o local estão interditados. A reportagem do Portal Correio esteve na Assembleia, mas até o momento nenhum dos responsáveis, nem pela Casa nem pela empresa que realiza os trabalhos de reforma, se manifestaram sobre o assunto.

Ainda conforme informações apuradas pela reportagem, teria ocorrido um vazamento de água e era nesse lugar onde os trabalhadores atuavam. Sem se dar conta do problema, as vítimas teriam entrado em contato com a fiação e sofrido o choque elétrico.

*Matéria atualizada às 11h10 para acrescentar novas informações sobre o acidente e estado de saúde da vítima

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas