IPC-S desacelera e fecha maio com variação de 0,64%

18
COMPARTILHE

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) encerrou o mês de maio com variação de 0,64%. O resultado é 0,04 ponto percentual menor do que o constatado na apuração da terceira prévia, mas está 0,15 ponto percentual acima do registrado no fechamento de abril (0,49%). No acumulado do ano, a taxa atingiu aumento de 4,23%, e, nos últimos 12 meses, 9,15%.

Leia mais Notícias no Portal Correio

O levantamento é feito pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) e se refere à pesquisa de preços nas seguintes capitais: Recife, Salvador, Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Brasília e Porto Alegre

Três dos oito grupos pesquisados tiveram decréscimo, com destaque para saúde e cuidados pessoais (de 2,16% para 1,36%), que reflete a perda de força do reajuste dos medicamentos (de 5,94% para 2,83%). Em alimentação, o índice passou de 0,90% para 0,77% sob o efeito das frutas cujos preços estão subindo mais lentamente (de 3,67% para 1,03%). No grupo transportes, foi verificada queda de 0,42%, um pouco mais expressiva do que o recuo anterior (-0,22%).

Em comunicação, o índice permaneceu em 0,29%. Nos demais grupos ocorreram avanços: em habitação (de 0,48% para 0,77%), despesas diversas (de 2,67% para 3,65%), educação, leitura e recreação (de -0,24% para -0,13%) e vestuário (de 0,51% para 0,65%) .

Os itens de maior impacto inflacionário foram: cigarros (6,44%); tarifa de eletricidade residencial (0,82%); batata-inglesa (26%); taxa de água e esgoto residencial (1,68%) e refeições em bares e restaurantes (0,38%).

Entre os itens que mais ajudaram a conter a alta estão: etanol (-6,89%); cenoura (-24%); tangerina ou mexerica (-6,70%); gasolina (0,01%) e banana-prata (-1,19%).

z

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas