Moeda: Clima: Marés:
Início Trânsito

João Pessoa terá estacionamento rotativo em três áreas; veja valores

Tempo de permanência vai variar de acordo com a área. Na maioria dos casos, será cobrada tarifa de R$ 3 por hora
Projeto do edifício-garagem da Zona Ipê Branco (Foto: Divulgação)

A Câmara Municipal de João Pessoa apresentou, nessa segunda-feira (18), o projeto de ordenação de vagas e estacionamento rotativo que vai substituir a Zona Azul. Denominado Zona dos Ipês, o projeto prevê a oferta de 6.524 vagas, em instalações no Centro, em Mangabeira e em avenidas próximas à orla.

A líder do projeto e diretora da empresa responsável pela execução das obras, Roberta Borges Boaventura, explica que a Zona dos Ipês será dividida em categorias. O tempo de permanência vai variar de acordo com a área. Em quase todos os casos, será cobrada tarifa de R$ 3 por hora.

Ipê Amarelo

Incluirá instalações no Centro e em Mangabeira. No Centro, serão disponibilizadas 3.937 vagas, com reservas para idosos e pessoas com deficiência. Já em Mangabeira, serão ofertadas 667 vagas e o projeto prevê remodelagem no tráfego, com uma via para veículos, uma para ônibus e uma ciclovia. Veículos poderão ficar até duas horas nos locais. A tarifa será de R$ 3 por hora.

Ipê Branco

Será uma área de integração do estacionamento rotativo com o transporte coletivo no Centro. O projeto prevê a criação de um edifício-garagem com 103 vagas. A permanência no local será de até cinco horas.

Para contemplar a integração com o transporte coletivo, está previsto no projeto uma nova rota de ônibus com um trajeto de 21 minutos com circulação apenas na região central, abrangendo o Parque Solon de Lucena e o Centro Histórico. Caso utilize o serviço de ônibus, o usuário do estacionamento rotativo terá que pagar tarifa de R$ 5. Se o transporte coletivo não for usado, será cobrada tarifa de R$ 3 por hora.

“É um trajeto rápido com vários pontos de ônibus justamente para que a região central tenha um meio de transporte coletivo barato. Então a pessoa que vai ao banco e ao mercado, no lugar de parar várias vezes, ela tem a opção de deixar o carro no edifício garagem e utilizar o ônibus para circular nessa região central, diminuindo assim a incidência de poluentes, de veículos e melhorando a fluidez da região”, explica a líder do projeto.

Ipê Roxo

Serão as áreas de zoneamento turístico das avenidas à beira mar, com permanência de até cinco horas. Serão ofertadas 1.817 vagas. A tarifa será de R$ 3 por hora.

Tecnologia e sustentabilidade

De acordo com a diretora da empresa responsável pela execução do projeto, será criado um mapa em que o cidadão poderá consultar as vagas disponíveis antes mesmo de sair de casa para encontrar uma região mais tranquila, evitando assim o fluxo intenso de veículos. Roberta Borges acrescenta que o projeto também prevê a criação de um aplicativo para o comerciante, o Smart PDV.

“Aquele que tem um comércio na região do estacionamento rotativo e quiser fazer parte do projeto, vai poder baixar o aplicativo, fazer a compra antecipada dos créditos para ganho de 20% das vendas que ele realizar. Nosso projeto prevê no mínimo um ponto de vendas a cada 50 vagas, que dá menos da metade de um quarteirão”, afirmou.

Outra tecnologia a ser utilizada é a Optical Character Recognition (OCR), sistema de fiscalização em que câmeras fazem a leitura automática das placas dos carros.

“A ferramenta promove segurança e há a possibilidade de integração dessas câmeras com sistemas de segurança pública. Assim, é possível verificar se você tem um veículo roubado ou irregular na Zona dos Ipês, com isso você consegue automatizar a fiscalização do trânsito de João Pessoa”, explica Roberta Borges.

O projeto prevê a instalação de parquímetros para o controle do estacionamento rotativo. Será possível o pagamento com dinheiro em espécie e por cartões de crédito e débito. Haverá plantio de uma árvore para cada cinco vagas na Zona dos Ipês.

O investimento inicial para a realização do projeto é de R$ 15 milhões. O acordo com a Prefeitura Municipal prevê outorga inicial mínima de R$ 300 mil e a mensal de 5% do faturamento do estacionamento, que serão destinados à Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob).

Comentários

Aluizo Venceslau disse:

Sou de acordo ao estacionamento,mais o preço de três reais pela a hora está caro o que se resolve em uma hora e se cobra três reais por cada horas e vc permanecer três horas no estacionamento ja vai pra nove reais é preciso rever essa forma de pagamento assim, fica inviável pra muitas pessoas os shoppings cobram 5 reais sen limites de horas se cobra 5 reais por três horas e uma porcentagem do valor se passar mais de três horas eu acho que fica legal

Patrícia Maria disse:

Não entendi… se é um projeto PÚBLICO para beneficiar a população, como o cidadão que já sobrevive nesse país com impostos altíssimos vai pagar?

Roberto disse:

Já não vejo a hora desse projeto entrar em funcionamento, irei pagar com maior prazer, pois o centro da cidade está lotado com os “flanelinhas” que se acham dono das ruas e dos locais e ainda cobram muito mais caro que R$ 3,00 e se não pagar arranham o carro, solta piada e arrumam até uma briga como já aconteceu comigo.

Estevão disse:

O Mercado Central só precisa concluir os setores que não foram reformados. Conheço gente que preferia do jeitinho que era na década de 90, que até traz uma certa nostalgia. Isso significa que ao mexer vai agradar uns e desagradar outros, mas necessário é.

Quanto às vagas de estacionamento, é completamente necessário ampliar. E o caro estacionamento do Manaíra Shopping se torna mais barato que qualquer estacionamento rotativo da cidade que se passe mais de três horas. Meu bolso não gostou do valor proposto mas pode-se batalhar por um valor mais acessível.

Sales disse:

Como contribuintes ou melhor como consumidor, se vamos ao centro é para gastar, onde está nosso direito, se é pra deixar o carro em pra que estacionamento, É BOM ESTA EMPRESA OU MELHOR ALERTO A TODOS OS NOSSOS DIREITOS CONSTITUCIONAL, pois com certeza ESPERO QUE A CÂMARA MUNICIPAL tenha postura de lutar pelos cidadão QUANTO a este absurdo

Francisco Araújo disse:

Prezados Sr.
Gostaria que as pessoas responsáveis pelo projeto que deixasse BEM CLARO a proporção de vagas isento de pagamentos para USO dos IDOSOS e DEFICIENTES .
Obrigado.
Boa tarde

Victor Grisi disse:

Isso é desculpa pra alguém ganhar muito dinheiro com a construção e operação desses estacionamentos tudo com o carimbo “oficial” da pmjp. Operação estatal visando quebrar os pequenos empresários do ramo de estacionamento, sobretudo no centro que é uma região que está abandonada e que não vai resolver essa questão nem a do trânsito. Os nossos vereadores têm que barrar esse projeto ou no mínimo reduzi-lo visando diminuir mais esse roubo estatal.

Sebastião Medeiros disse:

Realmente o mercado central de João Pessoa é um local que pode ser melhorado e muito. As condições de higiene, segurança e de acesso são deploráveis. Será que as “autoridades” responsáveis por esse local não têm interesse por um lugar tão frequentado e útil que faz parte do mapa da cidade? Como seria bom que fosse definitivamente aperfeiçoado!

Zeno disse:

Cícero,o teu passado não nega.

evel disse:

Estacionamento mais caro que o do Shopping Manaíra e Mangabeira que R$ 6,00 sem limite de tempo.
Outra, você já gastou o combustível pra ir ao centro, vai pagar mais R$ 3,00/ por hora e ainda pagar passagem de ônibus;
Que loucura!

Stela disse:

Primeiro tem que cuidar da retomada da economia quando mudar esse governo escroto, não tem mais lojas nos grandes centros tudo falindo, vai estacionar o quê?? Com o combustível pelos olhos da cara? Os carros estão é enferrujando em casa!!!

Carlos disse:

Esses caras podiam pensar em fazer um novo mercado central pois o atual é um lixo, o turista vem a j pessoa e fica se perguntando onde estou, esse negócio de estacionamento têm alguém que vai se dar bem.

Deixe seu comentário
Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2022. Portal Correio. Todos os direitos reservados.