Lígia Feliciano (Foto: Assuero Lima/Jornal Correio da Paraíba)

Após ouvir áudio de Ricardo, Lígia chama governo paralelo de delírio

1543
COMPARTILHE

A vice-governadora Lígia Feliciano (PDT) concedeu entrevista ao programa Correio Debate, da Correio Sat/98FM, nesta segunda-feira (16). Durante boa parte da entrevista, Lígia defendeu o Governo e evitou confrontos com o governador Ricardo Coutinho (PSB), inclusive, defendendo os projetos implantados pelo Chefe do Executivo. Até que ela foi surpreendida por um áudio em que Ricardo questiona a lealdade dela enquanto vice e insinua que ela estava fazendo um governo paralelo.

Surpresa, Lígia garantiu que sempre foi leal e classificou o discurso de Ricardo como um delírio. “Sempre fui leal a essa forma de governar, continuei leal ao que eu entendo que é certo para a Paraíba. Governo paralelo não existe, isso é delírio, é fantasia que surge do nada para sujar uma mulher decente. Será que é por que sou mulher?Eu não acredito. Eu fui eleita junto, sou uma voz firme e honrada e não admito que ninguém questione a minha lealdade. Eu sei meu tamanho, não nego, eu não estou preocupada se sou grande ou sou pequena, estou preocupada com meu trabalho, sou uma voz firme e honrada e não admito que ninguém questione minha lealdade”, disparou.

Durante a conversa, a vice-governadora Lígia Feliciano (PDT) deu sinais claros de que deve entrar na disputa pelo Governo do Estado. Lígia disse que não tem prazo para decidir se será candidata. “Prazo quem dá é o povo. Eu fiquei muito feliz que o presidente do meu partido, Carlos Lupi, falou em meu nome, mas vou ouvir o povo. Acredito que Deus está no comando da minha vida. Vou ouvir o povo para saber o que realmente a Paraíba quer de bom”, disse.

Ela afirmou que a afirmação de que ela teria feito um governo paralelo é um delírio, uma fantasia. Mesmo ouvindo um áudio do próprio governador Ricardo Coutinho de que ela teria feito um governo paralelo, Lígia evitou falar em rompimento. “Eu sou vice-governadora, como faria um governo paralelo? Eu continuo até hoje trabalhando e não trabalho por cargos, eu sou funcionária pública, trabalho para o povo. Não vou me submeter a disse-me-disse. Até agora não ouvi do governador nada que desabone minha pessoa”, falou.

“Não posso ser oposição a um governo que está dando certo. Eu sou vice-governadora. Eu defendo um Estado que avançou, eu defendo os projetos que desenvolveram a Paraíba. Chega dessa política velha onde a pessoa tem que ser lado A, B ou C, eu sou do lado do povo. Esse é um governo onde foram implantadas ideias e ideias pertencem ao povo e se elas são boas têm que ter continuidade”, falou.

A vice-governadora acrescentou que não defende pessoas e sim ideias. “Eu sou vice, eu participo desse governo, não estou falando de pessoas, estou falando de políticas que mudaram a vida das pessoas. Vou continuar fazendo essa forma de governar que mudou a Paraíba e que eu tenho muito orgulho de participar. Minha bandeira é que continue com essa ideia. A ideia de governo que pertence a todo mundo, que transformaram a consciência. Aonde puder, estarei defendendo essas ideias que mudaram a Paraíba independente de quem”, afirmou.
Confira a entrevista na íntegra abaixo:

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas