Início Geral

Magno Malta defende fim da Febem e cria??o de centros esportivos para menores infratores

O senador Magno Malta (PR) disse em João Pessoa na tarde desta quinta-feira (8) que quer a extinção da Febem que abriga adolescentes infratores para a ressocialização e a implantação de centros esportivos para transformar esses jovens que cometeram crimes em atletas.

Pré-candidato a presidência da República, o senador em visita à Paraíba, declarou que os adolescentes que cometem crimes são homens travestidos de criança e defende a punição sem distinção de idade para quem comete crime hediondo.

Ele acredita que os adolescentes que cometerem crimes comuns devem ser separados daqueles que praticam os crimes hediondos, depois devem ser colocados nos centros esportivos. “O esporte é a saída. Esses adolescentes seriam transformados em grandes atletas com alto rendimento e aí o mundo iria nos imitar”, analisou.

Os familiares dos adolescentes, quando não estivessem envolvidos com crimes, o juiz poderia dá um tutor para aquele adolescente e quando houvesse envolvimento dos familiares dele com o crime, poderia ser destinada uma família adotiva para acompanhar a recuperação desses menores.

Quanto ao sistema prisional brasileiro como um todo, Magno Malta diz que o Brasil deveria seguir o modelo italiano em que os presos têm que trabalhar para ressarcir o Estado.

Magno Malta analisa como precária a questão da segurança pública e afirma que o setor vive em estado de abandono. Ele cita que o País possui dez cidades entre as mais violentas do mundo. O parlamentar citou a Paraíba como o 3º estado mais violento do País, só perdendo para Alagoas e o estado de origem dele, o Espírito Santo.

Quando era deputado federal, Magno Malta foi presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Narcotráfico. Como pré-candidato à presidência pelo PR, o senador capixaba possui como bandeiras a redução da maioridade penal e melhorias na área da segurança pública.

Palavras Chave

Portal Correio
publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.