Mais de 4 mil pessoas usam grupo no Facebook para relatar assaltos na Grande JP

42
COMPARTILHE

Um grupo que reúne usuários do Facebook vem servindo de espaço para que a população possa divulgar e relatar casos de assaltos cometidos em ônibus, bairros e localidades da Grande João Pessoa. A página intitulada ‘Fui Assaltado – Grande JP’, criada em dezembro de 2014, conta com mais de 4,2 mil usuários e segue aumentando o número de participantes a cada novo assalto enfrentado pela população.

Leia também: Comunidade de João Pessoa usa WhatsApp para se proteger da violência

Segundo o criador e um dos administradores do grupo, o estudante Peter Shelton Alves, a página foi criada logo após um assalto cometido contra a irmã dele, dentro do Terminal de Integração do bairro do Varadouro, na Capital.

“Criei o grupo porque a minha irmã foi assaltada quando tentava embarcar em um ônibus dentro da Integração. Percebi que haviam muitas reclamações de furtos e assaltos espalhadas pelo Facebook, então decidi criar o grupo para que as pessoas pudessem ter um local para divulgar as informações, ajudando outras pessoas através dos relatos”, disse Peter Shelton.

Nas postagens, os participantes do grupo informam assaltos sofridos contra eles mesmos, crimes presenciados, locais, horários e características das ocorrências.

Usuários relatam casos de assaltos

Foto: Usuários relatam casos de assaltos
Créditos: Reprodução/Facebook

Usuários relatam casos de assaltos em João Pessoa

Foto: Usuários relatam casos de assaltos em João Pessoa
Créditos: Reprodução

Em outra mensagem, um dos usuários divulga um caso ocorrido contra um grupo de turistas norte-americanos. Na postagem, o internauta relata conhecer mochileiros dos Estados Unidos que estiveram em João Pessoa e foram assaltados na frente de um albergue onde estavam hospedados.

Já em uma postagem, uma internauta questiona um crime de morte ocorrido dentro do Centro Administrativo Municipal de João Pessoa.

Americanos sofream assalto na Capital

Foto: Norte-americanos teriam sido assaltados na Capital
Créditos: Reprodução

Especialistas dizem que grupo ajuda a população

De acordo com Caroline Crozara, gerente de conteúdo digital da Ponto D em João Pessoa, o grupo serve como uma válvula de escape pra a população poder compartilhar o sentimento de insegurança.

“As pessoas não se sentem tranquilas nas ruas, sofrem com casos de assalto e acabam utilizando o grupo como uma válvula de escape para contarem experiências e informar as outras pessoas. Serve também para prevenir outros assaltos em um mesmo local, porque se alguém visualizar a postagem vai saber que o local onde esta passando é perigoso”, disse Caroline.

Já Nazaré Zenaide, que é especialista em segurança pública, formada na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), avalia que o grupo é uma ferramenta importante para que a população se torne mais ativa na divulgação e combate à violência.

“É uma forma da sociedade se mobilizar para denunciar os casos de assaltos. Os dados são necessários e são uma condição para que as pessoas que fazem a segurança pública possam ter uma base de que nem sempre a população pode se dirigir até uma delegacia para relatar um crime. O grupo é um meio para a população externar o sentimento de insegurança”, disse Nazaré Zenaide.

Segundo a especialista em segurança pública, os dados fornecidos pelo grupo podem ser coletados para que estudos sejam realizados por entidades e que os resultados desses estudos indiquem possíveis sugestões de ações que podem ser promovidas pelo Poder Público para melhorar a segurança.

“Além de grupos na internet, nós precisamos também de audiências públicas acerca de segurança e mais discussões sobre a criminalidade. É necessária a estruturação de um plano estadual de segurança pública que tenha como base o fortalecimento da segurança através de relatos da sociedade. Hoje, estamos vivendo atrás de grades e cercas elétricas. A população pode e deve se manifestar através da internet, mas também exigir de forma mais direta ações concretas de segurança”, conclui Nazaré.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas