Início Notícias

Manoel Jr. ameniza discurso e já fala em parceria com Lucélio

O vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Junior (PSC), amenizou o discurso, nesta segunda-feira (14), e, apesar de saber que os dois nomes para disputar o Senado na possível chapa de Lucélio Cartaxo (PV) já estarem, teoricamente, fechados, disse que ainda não descarta a possibilidade de disputar o cargo de senador dentro dessa formação. Até então os pretensos candidatos são Raimundo Lira (PSD) e Cássio Cunha Lima (PSDB).

Leia também: PSC confirma pré-candidatura de Manoel Junior ao Senado

“O próprio Luciano Cartaxo anunciou que a chapa não estava fechada. Vários partidos políticos estão no campo das oposições. O que existe é ainda o trabalho árduo para manter a união das oposições e isso deve acontecer  num possível segundo turno. A postulação em chapa majoritária está sendo negociada com Marcondes Gadelha. Tenho feito a interlocução com lideranças políticas para aumentar a nossa representatividade do PSC”, frisou Manoel Junior durante entrevista no programa Correio Debate, da rádio 98 FM, Rede Correio Sat.

Ele garantiu que tem conquistado apoios para seu projeto político. “Não preciso de ficha, porque a política não é uma mesa de jogo.  Preciso de apoios para isso e estou conseguindo”, respondeu.

Já com relação a uma possível parceria com o PSB, do governador Ricardo Coutinho, ele descartou. “O projeto de Coutinho é esgotado. Não dá respostas a população quanto aos nossos maiores problemas como educação e segurança. Está desgastada essa administração”, frisou.

Manoel Junior garantiu que sua relação com o prefeito Luciano Cartaxo (PV) continua a melhor possível. “Como vice-prefeito tenho a obrigação de conduzir a administração ao lado de Luciano e ajudando dentro das possibilidades a melhorar nossa cidade”, pontuou.

Sobre Rômulo

Manoel Junior, durante a entrevista, lamentou a perda do deputado federal Rômulo Gouveia, morto nesse domingo (13) vítima de um infarto. ” Rômulo não tinha inimigos e nem alimentava discórdia na política. Era um exemplo de cidadão e político. Tínhamos amizade respeitosa mesmo quando estávamos em campos opostos”, destacou Manoel.

Comentários

  • Marcílio Ferreira disse:

    Ele é médico não advogado , como é fácil jogar pedras nos outros .

  • igor disse:

    mané você ta tão perdido no que fala que a tempos atrás dizia que não tinha segundo turno, rapaz entrega os pontos e diz que fosse escanteado, não existe união nenhuma em oposição, a única união que existe é apenas o PSDB e o PV, o demais partidos num tiveram a chance de participar da formação de chapa, como o próprio vice prefeito não participou.

  • João Bosco Monteiro disse:

    Grande defensor de Eduardo Cunha.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.