meteoro-explosivo-com-brilho-20-vezes-maior-que-o-do-planeta-venus-e-visto-em-ceu-de-jp
Meteoro explodiu ao passar pela atmosfera (Foto: Divulgação/Marcelo Zurita)

Meteoro explosivo com brilho 20 vezes maior que o do planeta Vênus é visto em céu de JP

Astrônomo amador que fez o registro explicou que meteoro explodiu três vezes enquanto passava pela atmosfera

153
COMPARTILHE

Um meteoro explosivo e 20 vezes mais brilhante que o planeta Vênus pôde ser observado no céu de João Pessoa na madrugada deste sábado (11).

Câmeras da Bramon, rede colaborativa de astrônomos amadores e profissionais, registraram o fenômeno. Na capital paraibana, três aparelhos fizeram imagens do meteoro. Outros dois registros foram possíveis em Pernambuco.

Em João Pessoa, uma das estações que registraram o meteoro é administrada pelo diretor técnico da Bramon, Marcelo Zurita. Ao Portal Correio, ele contou que o meteoro atingiu magnitude (escala de brilho) de -6.2. Quanto menor o número, mais brilhante é o meteoro.

“Na imagem que capturamos, podemos observar três ‘bolinhas’ no meteoro. Elas são pontos de fragmentação, ou seja, significam que houve três explosões. Essas explosões acontecem quando o meteoro enfrenta resistência na atmosfera. É comum que isso ocorra com meteoros grandes”, explicou Marcelo Zurita.

Até o fechamento desta matéria, o astrônomo amador não tinha finalizado a análise do fenômeno para identificar a origem do meteoro.

Captura dupla

Na madrugada do dia 1º deste mês, a estação administrada por Marcelo Zurita registrou o momento em que dois meteoros de chuvas distintas passaram pelo céu. Veja a imagem abaixo, divulgada pelo astrônomo amador.

meteoro-explosivo-com-brilho-20-vezes-maior-que-o-do-planeta-venus-e-visto-em-ceu-de-jp____2
Meteoros de chuvas distintas foram registrados simultaneamente (Foto: Divulgação/Marcelo Zurita)

O primeiro meteoro, mais à esquerda, pertence à chuva November Lyncids, proposta em 2012 e que tem poucos membros registrados até o momento. O outro é da chuva Orioníades, que é formada por detritos do Cometa Halley.

“Esse registro simultâneo de meteoros com diferentes classificações é muito raro, mas as chuvas não têm relação entre si. Podemos dizer então que foi uma feliz coincidência”, comentou Marcelo Zurita.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas