Início Pandemia

Ministro do STF Luiz Fux mantém vacinação da educação em João Pessoa

Ministro negou seguimento ao pedido da PGR para derrubar decisão que manteve vacinação de profissionais da educação da Capital
Campanha de vacinação começou no dia 19 de janeiro (Foto: Divulgação/Secom-JP)

O ministro Luiz Fux, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), negou seguimento ao pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) para que derrubasse a decisão do desembargador Cid Marconi, do TRF5, que acatou pedido da Prefeitura de João Pessoa, e manteve a vacinação dos trabalhadores da educação do ensino básico na Capital. As informações estão no blog da jornalista Sony Lacerda, da Rede Correio Sat.

A PGR, na Suspensão de Execução de Liminar, insiste que a Prefeitura da Capital tem que vacinar primeiro, de acordo com a ordem estabelecida pelo Plano Nacional de Imunização, as pessoas privadas de liberdade e os funcionários dessas instituições de privação antes do grupo dos professores.

A Prefeitura de João Pessoa alegou, no entanto, que há uma tratativa, através de decreto, com o Governo da Paraíba, para que o Estado vacine as pessoas privadas de liberdade e que, por isso, passou para o grupo seguinte, no caso, o dos trabalhadores em educação.

Comentários

  • Mariza Hermínio da Silva disse:

    Ah profissão ingrata!!! seja em sala de aula , seja no salário ou no reconhecimento. Já se faz quase um ano e meio que estamos na luta contra a COVID-19, a ciência dá passos importantes com a imunização na descoberta de imunizantes, ondes várias categorias são vacinadas graças a Deus , idosos e pessoas que apresentam comorbidade também mas não tem jeito não porque quando se trata do professor, já sabe é negado , é diferenciado e é preciso a justiça intervir para podermos ter os mesmos direitos os quais as outro pessoas poderão ter e por direito. Até quando os olhares dos governantes serão sempre hostis diante desse público.

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.