Início Geral

MPPB pede reuni?o urgente da Comiss?o Interpoderes para rediscutir duod?cimo

O procurador geral de Justiça, Bertrand Asfora, encaminhou aos presidentes do Poder Legislativo, Judiciário, Executivo e do Tribunal de Contas do Estado uma reunião em caráter de urgência da Comissão Interpoderes para tratar da redução dos valores do duodécimo pelo governo do estado. Os repasses, conforme revelou o Portal Correio na semana passada, foram congelados a valores de dezembro do ano passado.

Leia mais notícias de Política no Portal Correio

Com isso, além do corte em relação ao previsto na Lei Orçamentária deste ano, aprovada pela Assembleia Legislativa e sancionada pelo governador Ricardo Coutinho, houve redução mês a mês. De acordo com o cronograma mensal de desmebolso, publicado na edição do Diário Oficial do Estado no sábado de Carnaval (6), a cada mês o MPPB receberá pouco mais de R$ 18,941 mil. Em 2016, a previsão de repasse total chega a R$ 227,3 milhões.

O procurador geral de Justiça disse que, diante da repetição na redução do valor do duodécimo orçamentário repassado pelo governo do estado neste mês de fevereiro,  resolveu adotar medidas administrativas e soicitou uma reunião em caráter de urgência da Comissão Interpoderes da Paraíba.

“Precisamos conversar para aprofundarmos os estudos e os impactos na projeção financeira e orçamentária deste ano, objetivando a correta programação dos repasses do duodécimo”, adianta o procurador-geral de Justiça, relembrando: “Nesses meses de janeiro e fevereiro, em vez do valor do duodécimo previsto no Orçamento 2016, o estado disponibilizou o duodécimo no valor do mês de dezembro de 2015”.

Dentre as medidas adotadas frente à redução do valor do duodécimo orçamentário repassado pelo governo do estado, o procurador-geral Bertrand Asfora anunciou o corte nos cargos comissionados de membros (procuradores e promotores de Justiça) e servidores da instituição; e o redimensionamento, integração e racionalização dos Centros de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça (Caops), cujos quadros terão drástica redução. Essas medidas deverão entrar em vigor a partir do próximo dia 1º de março.

“Todas as possibilidades de contenção foram e estão sendo analisadas, tanto no âmbito do custeio e investimentos, quanto nos cargos comissionados de membros e servidores da instituição, para garantir o nosso equilíbrio orçamentário e financeiro”, avisa o procurador Bertrand Asfora, enfatizando: “Diante dessa crise instalada, as medidas serão necessárias para manter o Ministério Público funcionando”. O procurador-geral também anunciou que outras medidas poderão ser adotadas.

Duodécimo

O duodécimo orçamentário está relacionado à Lei Orçamentária Anual (LOA) e é calculado de acordo com o valor da receita corrente líquida anual do estado. O repasse desse duodécimo por parte do Poder Executivo aos Poderes Legislativo e Judiciário e a instituições como o Ministério Público é obrigatório.

Esse repasse está mencionado na Constituição Federal, no artigo 168 que diz: “Os recursos correspondentes às dotações orçamentárias, compreendidos os créditos suplementares e especiais, destinados aos órgãos dos Poderes Legislativo e Judiciário, do Ministério Público e da Defensoria Pública, ser-lhes-ão entregues até o dia 20 de cada mês, em duodécimos (…)”.

Palavras Chave

Portal Correio

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.