MPT destina R$ 120 mil para implanta??o de Equoterapia em cidade do Agreste

25
COMPARTILHE

Luiz Eduardo tem nove anos, é autista e tem paralisia cerebral, mas sempre se sente tranquilo quando brinca com animais. A esperança de sua mãe, Lúcia Soares, é que o filho melhore com as aulas de Equoterapia na Associação de Pais e Amigos Excepcionais (Apae) do município de Areia (Agreste do estado, a 130 km de João Pessoa). O garoto é uma das 60 crianças que serão atendidas com a implantação do projeto, que faz parte de uma destinação de multas de processos judiciais do Ministério Público do Trabalho na Paraíba. O órgão forneceu cerca de R$ 120 mil para a construção do espaço.

Leia mais Notícias no Portal Correio

“Nós estamos muito animados e esperançosos. O nosso sonho era ter a equoterapia aqui na instituição. Como mãe, eu acredito que ele [Luiz Eduardo] irá melhorar bastante, pois vemos vários exemplos de crianças que estão evoluindo com o método”, afirma Lúcia.

A instituição, para a destinação das verbas, foi indicada pelo procurador do Trabalho de Campina Grande, Raulino Maracajá. “O projeto é encantador e trará benefícios incalculáveis para os alunos e usuários. O MPT é parceiro de todo e qualquer projeto  que tenha como escopo a transformação social”.

Reconhecida como tratamento pelo Conselho Federal de Medicina, a Equoterapia é um método terapêutico que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar e traz para as pessoas com deficiência e/ou necessidades especiais vários benefícios neuromotores e psicossociais, tais como: melhora no equilíbrio, na coordenação motora, na força muscular, aumenta a concentração, a autoestima, o autocontrole, entre outras vantagens.

Para Josilene Castro, diretora e psicóloga da Apae de Areia, o auxílio do MPT no projeto foi de grande importância. “Com a equoterapia sendo implantada aqui na Apae, nós poderemos ajudar ainda mais pessoas, já que entre os alunos 60% são da instituição e 40% da comunidade”, conta.

 Além do MPT, o projeto conta com a parceria do juiz titular da Vara do Trabalho de Areia, Juarez Duarte Lima; do Campus II da Universidade Federal da Paraíba, através dos professores Lindomárcia Costa (setor de Zootecnia), Ana Cristina Daxenberger (setor de Educação) e Suedney Silva (setor de Medicina Veterinária) e de João Francisco Batista de Albuquerque, responsável pela doação de um dos cavalos.

A equipe da Equoterapia será composta pela fisioterapeuta Éllida Lemos, pela psicóloga Josilene Castro, pela fonoaudióloga Isa Vasconcelos e pela pedagoga Flaviana Oliveira.

Sede da associação

Em dezembro de 2014, o MPT também utilizou recursos provenientes de ação judicial para a construção da sede da Apae de Areia. O complexo foi feito em um terreno doado pela prefeitura e recebeu todos os equipamentos. Ele tem área de lazer, piscina para reabilitação, cozinha completa e todas as salas de aula estão equipadas, inclusive, com cadeiras especiais. Tem ainda sala com equipamentos para trabalho de fisioterapia, laboratório de informática, brinquedoteca e cantinho da leitura.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas