Início Geral

Na CMJP, governistas reagem à CPI da Lagoa e pedem três Comissões Parlamentares de Inquérito

A bancada governista da Câmara de João Pessoa reagiu um dia depois do pedido da oposição para instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Lagoa, apresentando mais três pedidos de Comissão. Coube ao vereador Dinho (PMN) apresentar na Tribuna os três novos requerimentos. O presidente da Casa, Durval Ferreira (PT), disse que vai recebê-las, mas alertou que oficialmente só podem ser instaladas três CPIs e revelou que a oposição já teria um quinto pedido a ser encaminhado a Mesa Diretora. Veja vídeo abaixo.

Leia também:

– PMJP divulga nota sobre CPI da Lagoa e diz que obra foi auditada pela CGU

O primeiro pedido de CPI apresentada por Dinho é investigar a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) que, segundo ele, estaria descumprindo o TAC que proibiu a concessionária de jogar dejetos nas praias de João Pessoa. Segundo ele, a estatal continua desrespeitando a determinação, mesmo com multa de R$ 400 mil.

Leia mais notícias de Política no Portal Correio

O segundo pedido de CPI na base do governo trata da investigação sobre um convênio com a Funetc, no valor de R$ 19 milhões,  para um sistema de tecnologia na estrutura de João Pessoa que, segundo Dinho, foi contratado e implantado na gestão do então prefeito Ricardo Coutinho e que até hoje não funcionou. Dinho disse que esse projeto trouxe enorme prejuízos aos cofres públicos e precisa investigado por uma CPI.

O terceiro e último pedido trata da compras de equipamentos para o setor educacional, pela empresa de moveis de informática Desk – Móveis e Informática. Essa compra teria sido feita também na gestão de Ricardo Coutinho como prefeito da Capital. A empresa, ainda segundo o vereador, está sendo investigada pelo Ministério Público. Segundo ele, os equipamentos foram comprados na época pela PMJP e vendidos até por 50 centavos.

O líder da oposição Renato Martins (PSB) afirmou que ele mesmo vai assinar os três pedidos de CPI apresentados, mas desafiou Dinho e os outros governistas a fazerem o mesmo e assinarem a CPI da Lagoa.

Martins disse ainda que a base aliada quer mesmo é impedir as investigações sobre a obra no parque Solon de Lucena. Outros vereadores de oposição, como Bruno Farias (PPS) e Raoni Mendes (PDT) também se prontificaram a assinar os requerimentos apresentados por Dinho.

A vereadora Raíssa Lacerda (PSD) quer que a CPI que trata da investigação sobre compras para informática na gestão de Ricardo-prefeito investigue também as causas da morte do servidor Bruno Ernesto que, segundo ela, sabia demais sobre as irregularidades do projeto ‘Jampa Digital’ e foi executado sem que até hoje a polícia apresentasse sequer um suspeito do assassinato.

Dinho disse que já tem 14 assinaturas para suas CPIs.  Ele disse que a oposição é quem manobra, porque a oposição teria lançado a CPI da Lagoa depois que o prefeito Luciano Cartaxo teria anunciado a entrega de uma etapa das obras para junho.

Assista ao vídeo do Portal:

 

Palavras Chave

Portal Correio

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.