Nilda destaca criação da liderança feminina no Senado como importante conquista da mulher

Nilda Gondim (Foto: Divulgação)

A senadora Nilda Gondim (MDB-PB) classificou como importante conquista da mulher brasileira a criação da liderança e de vice-lideranças da bancada feminina no Senado Federal, fato que garantirá às senadoras o direito de voz e voto no Colegiado de Líderes, e também no Plenário, na defesa pela aprovação ou rejeição das matérias submetidas à apreciação e deliberação do Senado.

A indicação de líder e vice-líderes da bancada feminina está prevista no Projeto de Resolução do Senado nº 06/2021, que tramita sob a relatoria da senadora Rose de Freitas (MDB-ES). Com previsão de ser aprovada ainda nesta semana, em face de compromisso firmado pelo senador-presidente Rodrigo Pacheco (DEM-MG), a matéria acrescenta o art. 66-B à Resolução nº 93/1970, estabelecendo o direito da representação feminina de indicar líder e vice-líderes e de exercer, através da liderança, no que couber, as prerrogativas asseguradas aos líderes de partido ou blocos parlamentares.

A iniciativa se insere no processo de fortalecimento da atuação do movimento das mulheres no Parlamento (de âmbito nacional e mundial) que busca a obtenção da igualdade de gêneros na política a partir da adoção de medidas como reserva de vagas para candidatas mulheres nas eleições; formalização da atuação conjunta nas Casas Legislativas, mediante participação ativa das bancadas femininas, entre outras conquistas necessárias à plena representação da mulher nas instâncias de poder do País.

Para Nilda Gondim, a aprovação do PRS nº 06/2021 é fundamental para as mulheres brasileiras, que terão sua representação no Senado Federal mais fortalecida, do ponto de vista político, e com maior poder de defender projetos estratégicos para o País e de rejeitar matérias que, sob a ótica feminina, sejam prejudiciais à coletividade brasileira. “A aprovação do projeto significará uma importante conquista para a bancada feminina no Senado Federal, e se somará às iniciativas que buscam alcançar um Congresso Nacional mais inclusivo, mais participativo, mais democrático e mais plural”, enfatiza.

Por força do que dispõe o Projeto de Resolução, além de poder falar e votar no Colegiado de Líderes antes de as matérias serem encaminhadas ao Plenário, a bancada feminina do Senado poderá, em Plenário, através de sua liderança, e como qualquer outro líder das bancadas masculinas, fazer a defesa pela aprovação ou rejeição de projetos conforme suas convicções sobre os benefícios ou malefícios que os mesmos possam trazer ao País.

Bancada feminina em exercício – A bancada feminina no Senado Federal é composta de doze senadoras. Além de Nilda Gondim (MDB-PB), integram o Colegiado de Mulheres as senadoras Mailza Gomes (PP-AC), Leila Barros (PSB-DF), Rose de Freitas (MDB-ES), Eliziane Gama (Cidadania-MA), Simone Tabet (MDB-MS), Soraya Thronicke (PSL-MS), Daniella Ribeiro (PP-PB), Zenaide Maia (Pros-RN), Maria do Carmo Alves (DEM-SE), Mara Gabrilli (PSDB-SP) e Kátia Abreu (PP-TO).

Homenagem à mulher – Nilda Gondim também destacou a importância da Sessão Especial realizada nesta segunda-Feira (08), no Senado, para comemorar o Dia Internacional da Mulher e homenagear as mulheres, especialmente as chefes de família, as mulheres negras, as mulheres vítimas de violência doméstica durante a pandemia e as mulheres que atuam diretamente no combate à Covid-19 em todo o País.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.