Início Entretenimento

No Dia do Cordel, Portal Correio traz poema e vídeo com Oliveira de Panelas

Hoje eu venho apresentar
Nesses versos em cordel
Sobre moças, valentões
Num girar de carrossel
As histórias consagradas
Do poeta menestrel

Salve o nosso precursor
O maior, o pioneiro
Leandro Gomes de Barros
Nesses contos, o primeiro
Cordelista consagrado
Do Nordeste brasileiro

Ariano Suassuna
Em seus causos se inspirou
Pra contar tantas histórias
Referência não faltou
O seu gato eraum cavalo
Nas histórias desse autor

O Pavão Misterioso
Narração contagiante
Obra deJosé Camelo
Caso esse, apaixonante
Que se deu em um país
Desse nosso bem distante

O cantador Beto Brito
É um grande cordelista
Oliveira de Panelas,
Conhecido repentista
Canta e mostra esse Nordeste
Com essa arte benquista

No Sertão do Piauí
Foi onde Beto nasceu
Trabalhou de feira em feira
Onde ouviu e aprendeu
O Cordel, sobre as estrofes
Mais de mil já escreveu

Vindo lá de Pernambuco
Oliveira de Panelas
De viola, sem ter medo
Deixou marcas e sequelas
Em vertentes já cantou
O Brasil em aquarelas

A essência do cordel
Ele canta com prazer
No repente improvisado
Deita e rola ao bem querer
É um gênio poliglota
Sem ninguém pra lhe vencer

Sejam seis ou sete versos
No galope ou no martelo
Gabinete ou gemedeira
Não se rende em um duelo
Zé Limeira fez carreira
Quando viu esse amarelo

Na canção e no cinema
O cordel está presente
No Pavão Misterioso
Ednardo fez poente
Artes plásticas inspiram
A cultura em nossa mente

Apesar da importância
O Cordel é pouco lido
Nas escolas, quando chega
Em seguida é esquecido
É preciso ter coragem
Pra não vê-lo estremecido

Em primeiro de agosto
Nós iremos festejar
O fenômeno Cordel
Feito para emocionar
Basta ler um folhetim
Pra você se apaixonar

Colorido, simples, puro
Pode ser dependurado
Num cordão, expositor
Nas bancadas, lado a lado
O livreto, lindo e terno
Já nasceu bem humorado

Ariano já dizia:
“Eu prefiro o meu oxente”.
Nas histórias de cordel
Esse termo está presente
Em adágios populares
No pulsar de nossa gente

Não deixemos de ouvir
Nem de ler, valorizar
Esse ninho de cultura
Que abraça e faz sonhar
O Cordel é nordestino
A paixão desse lugar

Sendo assim, eu agradeço
Pela sua paciência
Por ter vindo até aqui
Conhecendo a excelência
Do amor cordelizado
Encrustado na decência

*Com colaboração de Beto Brito

Palavras Chave

Portal Correio

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.