Moeda: Clima: Marés:
Início Tênis

Novak Djokovic não irá disputar Aberto da Austrália

Tribunal rejeitou recurso do tenista contra deportação e ele poderá ficar três anos proibido de entrar no país
Djokovic
(Foto: Alexey Filipov/Sputnik/picture alliance/dpa)

O Tribunal Federal australiano indeferiu recurso do tenista Novak Djokovic contra ordem de deportação. Com a decisão, o tenista fica impossibilitado de disputar o Open da Austrália, que começa nesta segunda-feira (17).

Três juízes do Tribunal Federal confirmaram decisão tomada na sexta-feira (14) pelo ministro da Imigração, de cancelar o visto do sérvio, de 34 anos, por motivos de interesse público.

A decisão significa provavelmente que Djokovic, que não está vacinado contra a Covid-19, vai permanecer detido em Melbourne até ser deportado.

A ordem de deportação inclui também, geralmente, proibição de três anos de entrar no país.

Ministro alegou risco

O ministro cancelou o visto, alegando que a presença de Djokovic no país pode constituir risco para a saúde e “ser contraproducente para os esforços de vacinação de outros na Austrália”.

O visto de Djokovic foi inicialmente cancelado em 6 de janeiro no aeroporto de Melbourne, horas após sua chegada para competir no primeiro torneio de Grand Slam de 2022,.

Um funcionário fronteiriço cancelou o visto, depois de decidir que Djokovic não era elegível para isenção médica das regras da Austrália para visitantes não vacinados.

Tenista se pronuncia

O tenista sérvio disse que está “desapontado” pelo fato de o tribunal ter indeferido o recurso que apresentara contra a ordem de deportação. A decisão vai impedi-lo de participar no Open da Austrália 2022.

Ele divulgou declaração pouco depois de três juízes do Tribunal Federal australiano terem confirmado unanimemente decisão tomada na sexta-feira (14) pelo ministro da Imigração, Alex Hawke, de cancelar o visto do sérvio de 34 anos por motivos de interesse público, uma vez que não está vacinado contra a Covid-19.

“Respeito a decisão do Tribunal e cooperarei com as autoridades competentes em relação à minha saída do país”, afirmou.

Djokovic disse estar “desconfortável” com o fato de a atenção ter se centrado nele, desde que o visto foi cancelado pela primeira vez à chegada ao aeroporto de Melbourne, em 6 de Janeiro.

“Espero que possamos agora nos concentrar no jogo e no torneio que adoro”, acrescentou.

Palavras Chave

Tênis

Comentários

Deixe seu comentário
Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2022. Portal Correio. Todos os direitos reservados.