Moeda: Clima: Marés:
Início Saúde

Novembro Azul: Conscientização e prevenção na saúde do homem devem ir além do câncer de próstata, orienta especialista

Urologista diz que os homens devem avaliar também questões como o risco vascular, sobrepeso e taxas
Foto: Pixabay

Assim como no mês de outubro, quando os olhares se voltam aos cuidados preventivos da mulher, em novembro é a saúde do homem que ganha os holofotes. Para o urologista Thiago Costa, depois de dez anos de campanha em todo o Brasil, a prevenção à saúde masculina vem a cada dia ganhando uma dimensão maior.

“O urologista deve ser visto como o médico do homem, aquele que pode fazer avaliação de risco cardiovascular ou detectar qualquer outra alteração que afete a saúde com um enfoque mais global”, defende.

Para o especialista, a saúde masculina é muitas vezes negligenciada pelos próprios homens, que acreditam não ser necessário nenhum acompanhamento.  Para o médico, os homens devem aproveitar este mês e avaliar também questões como o sobrepeso, taxas e falta de atividade física. “Assim, ele vai cuidar da saúde por completo, para viver mais e com qualidade de vida”, destaca o médico.

Pela experiência no consultório, Thiago Costa acredita que apesar das dificuldades encontradas, principalmente devido aos tabus em relação ao exame do toque, a conscientização já levou a população masculina a superar boa parte desse receio.

Câncer de próstata

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o Brasil tem cerca de 65 mil novos casos de câncer de próstata por ano, o que significa 29,2% dos cânceres em homens. Nos pacientes sem fatores de risco, a recomendação da Sociedade Brasileira de Urologia é a avaliação anual a partir dos 50 anos. “Já quem tem histórico familiar em parentes de 1º grau, obesidade e tabagismo, o ideal é buscar o urologista a partir dos 45 anos. A incidência de câncer de próstata em homens negros também é mais alta”, explica o médico.

O medo também é um vilão da descoberta precoce. De acordo com Thiago Costa, muitas vezes os homens pensam que os exames em si, tanto o toque quanto laboratorial de sangue (PSA), já são um diagnóstico fechado. “O câncer só é detectado pela biópsia. Os demais exames apenas detectam se há alguma alteração que necessita de investigação”.

O urologista destaca a importância do rastreamento do câncer pela sua alta incidência de casos e óbitos, mas também pela grande possibilidade de cura — chega a 90%, segundo o Inca — quando descoberto precocemente.

“Por ser, normalmente, assintomático é fundamental que os homens tenham consciência em relação ao risco e façam o diagnóstico o mais precocemente para alcançar a cura”, destaca.

Palavras Chave

Saúde

Comentários

Deixe seu comentário
Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2022. Portal Correio. Todos os direitos reservados.