leston-junior-pede-demissao-e-nao-e-mais-treinador-do-botafogo-pb
Leston Júnior (Foto: Reprodução/Facebook)

Novo treinador do Belo fala sobre contratações, elenco e luta pela Série B; confira

Treinador falou sobre a carreira, clubes em que atuou, montagem do elenco e o que a torcida pode esperar dele em 2018

54
COMPARTILHE

Anunciado como novo treinador do Botafogo-PB para a temporada 2018, o técnico Leston Júnior, de 39 anos, prometeu que vai se dedicar 24 horas por dia para levar o Belo a boas campanhas no Campeonato Paraibano, Copa do Nordeste, Copa do Brasil e tentar levar o clube a Série B do Campeonato Brasileiro. A declaração foi dada em entrevista ao Portal Correio, onde o treinador falou sobre a carreira, a montagem do elenco e a expectativa para 2018.

Portal Correio (PC) – Como foi seu início de carreira e em quais clubes já atuou?

Leston Júnior (LJ) – Iniciei minha trajetória como treinador em 1999, trabalhando nas categorias de base de clubes como Flamengo-MG, América-MG, Cruzeiro-MG e Bahia.

Onze anos depois, em 2010, efetuei meu primeiro trabalho comandando uma equipe profissional na Internacional-SP, onde permaneci durante duas temporadas e conseguiu o acesso na Segunda Divisão do Paulistão.

Em 2012 treinei o Olímpia-SP. Pelo Alviceleste, estive próximo da conquista de uma vaga na Série A2. No mesmo ano, fui contratado pelo Guarani-MG, onde fiquei por duas temporadas.

Em 2014 assumi o Madureira, no ano de seu centenário, onde disputei o acesso a Serie B do Brasileirão e fui vice-campeão da Copa Rio. No ano seguinte comandei o Tupi-MG na histórica campanha de acesso a Série B do Campeonato Brasileiro e levando o clube a terceira fase da Copa do Brasil, sendo a melhor campanha da história do time mineiro.

Em 2016 comandei o Remo-PA e o Mogi Mirim-SP. Em 2017, estive à frente do Villa Nova MG e passei as sete primeiras rodadas no Moto Club na Série C.

PC – Como foi a negociação e o acerto como o Botafogo-PB?

LJ – Então, entre o primeiro contato e o acerto foram aproximadamente 15 dias. Falamos bastante sobre a ideia e anseios do clube em relação a esse novo momento, sobre o que penso de futebol, métodos, enfim, tudo aquilo que envolve uma negociação de um treinador para um projeto de um grande clube.

PC – Então, o que você pretende trazer para o Botafogo-PB em termos de conhecimento e tática?

LJ – Futebol é um jogo onde o equilíbrio é o que norteia vitórias e conquistas. Não acredito que ser ofensivo ao extremo te leve a algum lugar e muito menos defensivo ao extremo.

Existem dois momentos no jogo: com a bola é preciso qualidade técnica, mobilidade e agressividade; sem a bola é fundamental ser competitivo. Então buscaremos sempre esse equilíbrio. Sobre sistema penso que o melhor é aquele que se encaixa mais as características dos atletas. A maior missão de um treinador é extrair o máximo potencial dos mesmos.

PC – Você tem participado das negociações e contratações junto à diretoria ou indicando nomes?

LJ – Não, não. Apenas falamos em nomes, características, perfil, etc. Todos os contratados estão sendo em consenso. Não concordo com [a idéia do] treinador montar elenco sozinho e também não acho inteligente uma diretoria contratar atletas sem a anuência do treinador.

Temos nos dado muito bem porque estamos discutindo nome a nome antes de contratar. Sobre Negociações, isso fica a cargo da direção.

PC – E o último contratado pelo clube, o meia Alan Dias. Quais informações você tem sobre ele? Ela vai ser uma das referências técnicas do elenco?

LJ – Alan já o enfrentei várias vezes. Nunca trabalhamos juntos. É um jogador de muita capacidade técnica e física, mas fundamentalmente é um jogador tático, que exerce até três funções no setor de meio campo. Vai agregar bastante.

Sempre digo que uma boa equipe (coletiva) sempre terá protagonistas em cada momento. Assim como Alan, vários outros poderão e deverão assumir essa condição.

Sobre novas contratações, ainda estamos ativos no mercado. Como eu disse anteriormente está a cargo da direção as negociações de todos os atletas que em consenso estamos buscando.

PC – O Botafogo-PB conseguiu manter alguns jogadores do elenco deste ano e já começou a contratar.Já foi definido um número máximo de jogadores para o elenco? Jogadores da base vão ser aproveitados?

LJ – Não vamos definir número fixo não. Futebol é muito dinâmico. Temos que ter um elenco que nos atenda para iniciar as competições, deixando espaço sempre para oportunizar os jogadores que se destacarem na divisão de base do clube e, claro, de uma ou outra situação de mercado que surja. Mas normalmente um número de aproximadamente 28 atletas é algo que vejo como o ideal.

PC – A diretoria divulgou que o elenco vai ser apresentado no dia 27 de novembro, mesmo dia que começa a pré-temporada. O clube pensa em disputar amistosos?

LJ – Vamos iniciar a pré-temporada dia 27/11. Será em João Pessoa mesmo. Sobre amistosos, faremos três ou quatro a serem programador ainda. Gostei do que vi, o clube fornece todas as condições para um trabalho de qualidade.

PC – Qual é a expectativa para a temporada 2018? O Belo vai brigar para subir a Série B?

LJ – Um clube do tamanho do Botafogo precisa ter sempre grandes ambições. Sei que o maior sonho do torcedor é a conquista do acesso a Série B do Campeonato Brasileiro.

Antes precisamos estar fortes para disputar o título estadual, fazer uma campanha na Copa do Nordeste melhor do que a dos anos anteriores, tendo como objetivo inicial passar a primeira fase para aí pensar em coisas maiores. Isso também em relação à Copa do Brasil. Essa caminhada do primeiro semestre é que vai nos fortalecer para a Série C.

Tudo o que vivenciarmos nesse período nos dará lastro para a busca do sonho de todos nós: o acesso a Série B.

PC – O que a torcida pode esperar de Leston Júnior no Botafogo-PB?

LJ – O que sempre pautou minha vida. Muito respeito à instituição, dedicação, trabalho sério e honesto, e obviamente trabalhar e vivenciar o clube 24 horas por dia para aproximarmos e aumentarmos cada vez mais as possibilidades de conquista de nossos objetivos e obviamente espero que tenhamos o apoio do maior patrimônio do clube, que é o seu apaixonado torcedor.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas