Início Geral

O bispo, a jararaca e as ruas

Youtube, WhatsApp, Twitter, Facebook, sites de notícias… Quem acessou a internet, pode assistir o vídeo da homilia de dom Darci José Nicioli, bispo auxiliar da Arquidiocese de Aparecida (SP), conclamando os fieis a pedirem “a graça de pisar na cabeça da serpente”, e não só incluiu, mas destacou a “jararaca”.

A espécie ficou famosa na última sexta-feira, quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva usou-a para falar de sua situação política após ser conduzido coercitivamente para depor como investigado pela Lava Jato: “Se tentaram matar a jararaca, não bateram na cabeça, bateram no rabo. A jararaca está viva, como sempre esteve”.

Os oposicionistas evitaram polemizar com Lula. Não quiseram alimentar a estratégia petista de desviar o foco da investigação policial e transformá-lo em confronto político. Sem concorrência, a homilia do bispo de Aparecida viralizou rapidamente.

A fala de dom Darci: “Peça meu irmão e minha irmã, a graça de pisar a cabeça da serpente. De todas as víboras que existem e persistem em nossas vidas. Daqueles que se autodenominam jararacas. Pisar a cabeça da serpente, vencer o mal pelo bem, por Cristo nosso Senhor”.

Enquanto o bispo de Aparecida ficava conhecido em todo o Brasil, Brasilia fervia. O PT convocou manifestação para domingo, certamente para medir força – ou intimidar? – com os que vão pedir o impeachment de Dilma, e que escolheram, ainda em novembro, o 13 de março para ir às ruas. O líder do MST, José Rainha garantiu que os seus vão a luta em defesa do ex-presidente Lula.

Para um governo que tem apenas 9% de aprovação (Instituto IPSOS), a desordem é risco gravíssimo. Sendo as redes sociais parâmetro, pode-se dizer que a sociedade está sendo desafiada a mostrar o seu poder indo para as ruas.

Se houver confrontos, todos vão perder, mas certamente o prejuízo maior será para a presidente Dilma Rousseff, uma vez que é o seu partido e as entidades ligadas a ele que estão com o discurso de radicalização.

Enfrentamentos não vão salvar o mandato de Dilma nem impedir as investigações contra Lula. Podem é reduzir o apoio, político e popular, que ainda têm.

TORPEDO

“Tenha respeito à sua trajetória de cara pintada para não se transformar em um cara lavada.”

De Cássio Cunha Lima (PSDB), contestando Lindbergh Farias (PT), que condenava no Senado o “sequestro ilegal”do ex-presidente Lula.

Bate, rebate

Novo round entre Ricardo Coutinho e Luciano Cartaxo. O governador respondeu ao prefeito que tinha questionado sua capacidade de manter as alianças. “Eu cumpro com os meus acordos desde que sejam éticos”.

Diferenças

Ricardo disse que quando chegar o momento, vai sair da política de “cabeça erguida”, porque atua por um projeto. Admitiu que tem quem não goste dele na atividade, mas “porque não faço as coisas que

ele faz”.

Que projeto?

Coube ao líder Bira Pereira a defesa do prefeito: “Coutinho não vê o presente e, com sua amnésia política, esquece o passado. Deve ser para não lembrar que o seu partido já foi derrotado em João Pessoa, em 2012”.

Povo escolheu

E prosseguiu: “Se tinha projeto, o povo não quis. Escolheu outro projeto. E acertou, porque em lugar de palavras e agressões, preferiu um projeto de futuro, defendido e hoje tocado pelo prefeito Luciano Cartaxo”.

ZIGUE-ZAGUE

Com a desincompatibilização dos que serão candidatos a vereador, os aliados de Cartaxo terão pelo menos cinco cargos importantes a partir de 2 de abril.

Estarão vagas na Prefeitura da Capital as Secretarias de Comunicação, de Turismo e da Transparência e mais o Instituto da Previdência e o Procom Municipal.

Palavras Chave

Portal Correio

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.