Início Geral

O garantidor do 2? turno

Com a experiência acumulada em 60 anos de vida pública e com a autoridade de quem já venceu 12 eleições, sendo disparado o mais votado da história para o Governo da Paraíba (em 1998 foi eleito com 80,27% dos votos válidos. O 2° lugar é de Tarcísio Burity, que em 1986 somou 61,27%), o senador José Maranhão deixou claro que se o PMDB desistisse da disputa em João Pessoa, o grande beneficiado não seria o PBS de Ricardo Coutinho, mas o prefeito Luciano Cartaxo.

Maranhão revelou que pesquisas internas do seu partido mostram Luciano Cartaxo disparado na preferência do eleitorado pessoense, e que se o PMDB não entrar na disputa, a eleiçãodeve ser definida no 1° turno.

Em outras palavras: é o peemedebista Manoel Júnior que pode desestabilizar esse cenário e levar a decisão para o 2° turno. Maranhão não disse, mas a conclusão é bem simples: ao invés do PSB combater a opção do PMDB, deveria festejá-la.

Ele não arriscou dizer quem estará no 2° turno. É cedo para prognósticos. Lembrou que em 2012 ele foi o candidato do PMDB e aparecia como líder nas pesquisas no 1° turno, mas que a briga entre Ricardo e Luciano Agra, que vitimizou o então prefeito, favoreceu uma polarização que mudou o foco do eleitor, e ele terminou em 4° lugar. E Cartaxo, que era o último nas pesquisas, terminou vitorioso.

Dos nomes já confirmados, Maranhão considera Manoel Júnior o mais preparado para governar a Capital. Vê João Azevedo como “um grande técnico”, mas destaca a experiência e o conhecimento do seu aliado. Acha Cartaxo um forte concorrente, mas não imbatível. Questiona se seu favoritismo resistirá aos debates e aos holofotes eleitorais.

Lembrando que a política é atividade de risco, e que qualquer candidato corre o risco de perder ou ganhar, Maranhão observa que em João Pessoa a oposição tem uma vantagem: o eleitorado, formado por famílias oriundas de todo o Estado, é muito independente. E arremata: “Aqui não tem dono. Quem pensar que é dono vai quebrar a cara”.

Com um fato – o favoritismo de Cartaxo – Maranhão sepulta a proposta de “reciprocidade” do PSB, posiciona o PMDB como protagonista em João Pessoa e abre perspectivas para Manoel Júnior.

TORPEDO

“Reciprocidade não é uma camisa de força que o sujeito pega e bota no seu correligionário e diz: você tem que renunciar, tem que apoiar a candidatura A ou B. Na política municipal, alianças se formam com entendimento dos agentes locais.”

Do presidente do PMDB, senador José Maranhão, descartando imporaos Diretórios Municipais alianças com o PSB.

Apoio garantido

O deputado Frei Anastácio, que já duvidou das chances de Charliton Machado, agora apoia o pré-candidato a prefeito do PT em João Pessoa. Acha que o partido tem o que defender e que a militância vai para as ruas.

Discurso forte

Anísio Maia também é defensor da candidatura própria do PT contra o ex-filiado, Luciano Cartaxo. Entende que é preciso dialogar com o eleitor e mostrar que 80% das suas obras têm a digital do governo federal.

Filiação

O ex-deputado Major Fábio será recebido com pompa e circunstância no PTB. Sua filiação será às 10h desta segunda-feira, na sede estadual do partido. “É um grande quadro”, comemora o deputado Wilson Filho.

Posse

O desembargador aposentado Marcos Souto Maior, agora na advocacia, fez questão de participar da posse solene do sobrinho, Leandro Souto Maior, como Juiz de Direito em Pernambuco. Está no DNA da família.

ZIGUE-ZAGUE

O presidente da comissão do Concurso para Juiz Substituto do TJPB, juiz Antônio Carneiro confirma para quarta-feira a publicação do edital da 3ª etapa.

São 88 candidatos e 15 vagas previstas, mas a decisão final sobre as que serão preenchidas caberá ao presidente do Tribunal, Marcos Cavalcanti.

Palavras Chave

Portal Correio

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.