O joio e o trigo

29
COMPARTILHE

As férias foram curtas – apenas 15 dias -, mas Luciano Cartaxo voltou energizado. No primeiro dia da volta ao trabalho deixou claro que vai fazer valer o poder de João Pessoa se o Estado decidir privatizar a Cagepa sem ouvir os municípios, que são os detentores da titularidade dos serviços de saneamento básico. No segundo, esnobou a possibilidade de uma futura aliança com o governador Ricardo Coutinho e seu PSB.

A perspectiva de composição em 2018 vinha sendo admitida por aliados de Ricardo Coutinho desde a reeleição de Cartaxo, no 1° turno, o que aumentou suas chances de chegar ao Palácio da Redenção no próximo ano. Se era pra valer ou estratégia para espalhar a discórdia na aliança PSD, PMDB, PSDB e PP, virou foi oportunidade para o prefeito demonstrar sua satisfação com os atuais parceiros e confiança no futuro.

Palavras de Cartaxo: “Somos aliados da nossa base, dos partidos que nos deram sustentação na eleição. É com estes partidos que estamos dialogando politicamente. Estamos numa aliança bem construída, com o PMDB, PSDB, PP e todos os partidos que compõem nosso grupo desde as eleições passadas”.

Mostrando que sabe diferenciar o joio do trigo, o prefeito disse que não vê “nenhum problema” em conversar com Ricardo Coutinho sobre parcerias administrativas, mas que política se faz com os partidos aliados. Não deixou abertura para interpretações. Tudo branco no preto.

Cartaxo já foi aliado de Ricardo Coutinho no PT, partido pelo qual conquistaram seus primeiros mandatos, e em 2014 apoiou sua reeleição para o governo. Não obteve reciprocidade quando chegou a sua vez de renovar o mandato de prefeito. Sofreu forte oposição do PSB, mas graças ao engajamento do governador na campanha, sua vitória virou trunfo para a sucessão estadual.

Após se impor, Cartaxo repetiu o discurso que também é feito por Ricardo Coutinho, de que as decisões políticas devem ser deixadas para o próximo ano e que 2017 deve ser de comprometimento com os desafios administrativos. Com isso, deixou sem resposta se renunciará no prazo de um ano para concorrer ao governo pela oposição. Mas nem precisava. Sua postura já é de candidato.

TORPEDO

Sabemos que outra atitude é possível, que com trabalho, planejamento, objetividade, mas também com o coração, é possível encontrar caminhos mesmo em tempos difíceis para mudar para melhor a vida da nossa gente.

Do prefeito Luciano Cartaxo, que em discursona Câmara condenou a “política da intriga, da perseguição e do individualismo”.

Antecipado

As águas chegarão no amanhecer da sexta-feira. Um dia antes do previsto, o presidente Temer e seus convidados desembarcarão em Monteiro para o evento que marcará a conclusão do Eixo Leste da Transposição.

Monteiro

Michel Temer sairá de Brasília para Campina Grande às 7h. De lá, segue em helicóptero da Força Aérea até a barragem de Porções, a primeira da Paraíba a receber as águas. Monteiro vai acolher políticos de todo o Nordeste.

Honrarias

Por ter agilizado a obra e socorrido Campina Grande, o presidente Michel Temer receberá homenagens da Câmara Municipal: a Cidadania Campinense e a Medalha de Honra ao Mérito Municipal, já devidamente aprovadas.

Sugestão

Se dependesse do deputado João Henrique (DEM), os ex-presidentes Lula da Silva e Dilma Rousseff seriam convidados para o evento. “Acho até um ato de grandeza”, disse, destacando as suas contribuições para a obra.

ZIGUE-ZAGUE

+ O STF, em julgamento da 2ª turma, reconheceu que houve registro de propina como doação legal e que isso configura corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

+ A decisão, que foca origem do dinheiro, foi na ação penal contra o senador Valdir Raupp, que recebeu R$ 500 mil em “valores espúrios”, conforme Edson Fachin.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas