Início Geral

Olaria alvo de operação é incendiada na PB e polícia suspeita que tenha sido criminoso

Uma olaria na cidade de Santa Rita, na Grande João Pessoa, pegou na manhã desta terça-feira (11). O local foi alvo de uma operação da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) da Capital há mais de um mes. A Polícia Civil não descarta que o incêndio tenha sido criminoso e dois funcionários do local foram detidos para prestar esclarecimentos.

Leia mais Notícias do Portal Correio

Segundo o delegado titular da DDF, Lucas Sá, o fogo atingiu apenas o local que era usado pelas autoridades policiais como prova do suposto crime ambiental praticado pela olaria.

“O incêndio começou na madrugada por volta de 5h. O fogo foi bem direcionado, concentrado no lixo, que deveria ser retirado do local até o dia 17 de outubro, conforme Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado com o MP. Entretanto, esse descarte de forma correta custa caro. A suspeita é de que o fogo tenha sido para ocultar provas e não custear a dispensa do material”, disse o delegado.

Um novo inquérito foi instaurado para saber o que teria provocado do fogo. O delegado Lucas Sá disse que os funcionários levados para depor serão liberados após esclarecimentos.

Polícia Civil esteve no local

Operação

Cinco mandados de busca e apreensão foram cumpridos e uma prisão realizada durante a Operação Descarte, realizada pela Polícia Civil, por meio da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF), em conjunto com o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba (MPPB) e Instituto de Polícia Científica (IPC). A ação foi realizada em duas empresas de serviços ambientais sediada em João Pessoa e Santa Rita região metropolitana da Capital. De acordo com a Polícia Civil, as buscas também aconteceram nas casas dos proprietários das empresas e em uma olaria localizada as margens do Rio Paraíba.

Segundo o delegado titular da DDF, Lucas Sá, o objetivo da operação foi desarticular um esquema criminoso envolvendo uma empresa e a olaria. Os donos delas estariam praticando crime ambiental, fraude em licitações públicas, utilização de documentos falsos e desvio de recursos públicos. As empresas investigadas atuam na Paraíba há nove anos e têm contratos firmados com dezenas de prefeituras na Paraíba, que já resultaram no pagamento de mais de R$ 9,4 milhões por parte dos cofres públicos conforme consulta realizada no sistema do SAGRES do Tribunal de Contas do Estado.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078. 

Palavras Chave

Portal Correio

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.