Para deputado, TCM ? de interesse dos postulantes a conselheiro

19
COMPARTILHE

A discussão sobre a criação do Tribunal de Contas dos Municípios na Paraíba ainda é assunto tratado nos bastidores da Assembleia Legislativa. Sem previsão para ser criado, mas também sem ser descartado pelo governador Ricardo Coutinho (PSB), o debate sobre sua instalação foi criticado, nesta quarta-feira (11) pelo deputado de oposição Manoel Ludgério (PSD).

Leia mais notícias de Política do Portal Correio

Para o parlamentar, a criação do TCM é de interesse dos postulantes aos cargos de conselheiros. “Eu acredito que o fato TCM ele está muito mais sendo alimentado pelos pré-candidatos aos cargos de conselheiros do que pelo próprio governador”, disse.

Segundo ele, é difícil que o tribunal seja criado no estado diante da crise econômica que vive o país. “Eu não tenho nenhum contato com o governador, sou deputado de oposição, mas eu entendo que diante de uma crise dessa que vive o Brasil, respinga nos estados e nos municípios, eu tenho quase que certeza de que esse assunto está sendo muito mais colocado na mídia pelos postulante ao cargo de conselheiro”, completou.

O deputado líder da oposição, Renato Gadelha (PSC), que já chegou a defender a instalação do TCM, afirmou que nomes para indicar a conselheiros não está sendo discutido pelo grupo. “A oposição decidiu que só vai tocar nesse assunto quando tiver a manifestação expressa do governador Ricardo Coutinho dizendo da intenção ou não de criar o tribunal, enquanto isso, esse é um assunto que a oposição não vai se manifestar”, afirmou.

O deputado afirmou que a oposição trata a especulação sobre a criação de um TCM como “mero boato”. Ele rechaçou qualquer responsabilidade da bancada oposicionista nesse debate. “Se isso for criado é de inteira responsabilidade do governador. Não vamos falar sobre esse assunto enquanto não houver algo concreto sobre isso. Para nós, não passa de boato”, disse.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas