Moeda: Clima: Marés:
Início Tempo

Paraíba registra mais de 71 mil raios em três meses; saiba como se proteger das descargas atmosféricas

Número representa 47,37% do acumulado em todo o ano passado, quando ocorreram 149.953 descargas atmosféricas
Foto: Acervo/Jornal Correio da Paraíba

A Paraíba registrou 71.039 raios entre janeiro e março de 2023. De acordo com levantamento divulgado pela Energisa, o número representa 47,37% do acumulado em todo o ano passado, quando ocorreram 149.953 descargas atmosféricas.

Apesar do alto índice, a incidência de raios entre janeiro e março deste ano foi menor que a registrada no mesmo período no ano passado. O primeiro trimestre de 2022 computou 111.266 descargas atmosféricas.

Nos últimos 12 meses, de abril de 2022 a março de 2023, foram registrados 109.726 raios.

A maioria das mortes causadas por cargas elétricas atmosféricas no Brasil acontece ao ar livre. Escurecimento do céu, ventos intensos e som de trovões são sinais de que uma tempestade se aproxima e servem como alerta para necessidade de proteção.

Risco é maior no Sertão

O Sertão concentra cerca de 80% das descargas atmosféricas ocorridas na Paraíba. Para evitar acidentes, a Energisa tem utilizado uma ferramenta de alerta de situação climática, o NetClima, para alocar recursos e equipes para áreas de risco com antecedência.

A concessionária elaborou um plano específico de manutenção preventiva nas áreas urbanas e rurais, que inclui a substituição de postes, a troca de componentes e a poda de árvores com risco de toque acidental na rede elétrica.

Neste ano, cerca de R$ 100 milhões foram investidos em modernização de rede, novas tecnologias, obras, aumento de equipes técnicas e manutenções preventivas.

“No primeiro trimestre deste ano, tivemos um volume significativo de chuvas e um crescimento na incidência de descargas atmosféricas no Sertão e as redes estão sujeitas aos impactos das intempéries”, explica o gerente de Operações da Energisa, Felipe Costa.

Como se proteger de raios

  • Busque abrigo assim que aparecerem nuvens carregadas no céu ou começar a trovejar;
  • Evite colher frutas, abrigar-se ou caminhar perto de árvores;
  • Não fique próximo a animais, cerca de arame ou objetos metálicos pontiagudos, como pás, enxadas e facões;
  • Não ande a cavalo;
  • Não fique próximo a veículos como tratores ou dentro de carroceria de caminhão;
  • Não procure abrigo em áreas cobertas que protegem somente da chuva, como varandas, barracos e celeiros;
  • Evite praticar esportes, caminhar ou ficar parado em áreas descampadas, como terrenos baldios e rodovias;
  • Não suba em locais altos, como telhados, terraços e montanhas;
  • Se mantenha distante de varais de metal, antenas ou portões de ferro;
  • Se estiver na praia, rio ou piscinas, evite permanecer dentro da água, caminhar às margens da água na faixa de areia, calçadão, beira de rio ou piscina. Não se abrigue debaixo de guarda-sol, tendas e quiosques. Não realize atividades de pesca, nem fique próximo a embarcações atracadas;
  • Não utilize equipamentos elétricos ligados à rede elétrica, nem fique perto de tomadas;
  • Não fale ao telefone com fio, nem utilize celular conectado ao carregador;
  • Evite tomar banho em chuveiro elétrico;
  • Não fique próximo a janelas e portas metálicas e evite se aproximar da rede hidráulica (torneiras e canos);
  • Se estiver em ambiente aberto, sem a possibilidade de abrigo em local seguro, afaste-se de qualquer ponto mais alto e de objetos metálicos. Mantenha os pés juntos e agache-se até a tempestade passar. Não se deite no chão.

Palavras Chave

InteriorTempo
publicidade
© Copyright 2024. Portal Correio. Todos os direitos reservados.