Paulino quer Lira como candidato a governador, com apoio de RC, Cássio e Cartaxo

38
COMPARTILHE

O ex-governador da Paraíba, Roberto Paulino, integrante da executiva Estadual do PMDB, afirmou nesta sexta-feira (17) que o nome do senador Raimundo Lira (PMDB) seria capaz de unir, em um mesmo palanque nas eleições de 2018, o governador Ricardo Coutinho (PSB), o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) e o o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD). Ele defendeu uma chapa de coalizão nas eleições do ano que vem.


Leia mais notícias de Política no Portal Correio

O ex-governador foi o entrevistado do programa ‘Rede Debate’, da TV Correio. Ele garantiu que o seu partido continua forte e nas próximas semanas voltará a ficar unido.

Paulino considera que as divergências internas são naturais e que os peemedebistas convivem com elas há muito tempo. “Desde o tempo do MDB que eu vejo essas situações. No final, sempre voltamos a defender unidos os interesses do partido e da Paraíba”, argumentou.

Roberto Paulino lembrou que foi o primeiro a pedir o adiamento da reunião da Executiva Estadual do PMDB, quando a crise estava mais aguda, entre os grupos dos senadores José Maranhão e Raimundo Lira. A reunião estava agendada para segunda-feira (20), mas ela foi adiada novamente para o dia 27 deste mês.

O ex-governador acredita que o partido deve ter candidatura própria no ano que vem. Para ele, a legenda tem que debater internamente e defender a unidade da classe política paraibana. Para Paulino, o ideal é que a chapa disputasse o governo no ano que vem fosse única e com o PMDB apresentando o candidato a governador.

Paulino considera que, com a cabeça de chapa, o PMDB pode ter apoio ainda de Luciano Cartaxo e da atual vice-governadora, Lígia Feliciano (PDT).

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078. 

 

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas