Moeda: Clima: Marés:

Pesquisa aponta que as aulas nas escolas rurais foram afetadas na pandemia

Levantamento ouviu 1.865 professores de escolas públicas e privadas

Realizado pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil, o estudo TIC Educação 2021 ouviu 1.865 professores de escolas públicas e privadas localizadas na zona rural do país, e constatou que a falta de acesso às tecnologias digitais é um desafio para a realização de aulas remotas. O levantamento divulgado nessa terça-feira (12) informa, ainda, quais foram as maiores dificuldades dos professores para lecionar durante a pandemia.

Dentre os empecilhos para aulas remotas nas escolas rurais estão a falta de acesso à internet nos lares dos alunos e a ausência de equipamentos. Para 92% dos docentes, a falta de dispositivo e de acesso à internet nos domicílios dos alunos foi vista como desafio para manter as aulas. A falta de habilidade para realização de atividades educacionais com os estudantes por meio do uso de tecnologias é outra dificuldade apontada por 76% dos professores de áreas rurais.

Ainda conforme o levantamento, para a realização das atividades escolares remotas ou híbridas apenas 12% afirmaram ter utilizado exclusivamente o telefone celular na realização de atividades educacionais. Já nas escolas urbanas a maioria dos professores relatou ter utilizado telefone celular (93%).

O Brasil tem 178 mil escolas que atendem 46,6 milhões de estudantes. Dentre elas, 53,5 mil estão em área rural, sendo a maioria (47,6 mil) escolas públicas municipais que atendem 5,4 milhões de crianças e adolescentes, de acordo com os últimos dados do Censo da Educação Básica do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), de 2021. Para se comunicar com os alunos durante as aulas remotas, nas escolas rurais cerca de 43% dos professores utilizaram as redes sociais, enquanto na área urbana o percentual chegou a 81%, segundo a pesquisa TIC Educação 2021.

“As escolas rurais ainda têm uma questão a mais em relação à conectividade. Em algumas regiões onde estão localizadas as escolas, não há acesso à internet de boa qualidade ou mesmo não há acesso à internet. A oferta de planos de banda de larga e de conexão nessas regiões é mais limitado. Então, de fato, nas escolas rurais, nós temos uma situação mais crítica em relação ao uso das tecnologias”, afirmou a coordenadora da pesquisa, Daniela Costa.

A pesquisa TIC Educação entrevistou, por telefone, 1.865 professores que representam os docentes de escolas públicas e particulares, urbanas e rurais do país. As entrevistas foram feitas entre setembro de 2021 e maio de 2022.

*Com informações da Agência Brasil

Comentários

Deixe seu comentário
Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2022. Portal Correio. Todos os direitos reservados.