População rejeita novo presídio da PB e pede investimentos em outras áreas

272
COMPARTILHE

Moradores do município de Gurinhém, no Agreste paraibano, a 78 quilômetros, estão desaprovando a construção de um presídio de segurança máxima com capacidade para 600 apenados na cidade. A construção foi anunciada nessa terça-feira (17) pelo secretário de Estado da Administração Penitenciária, Wagner Dorta.


Leia também: Paraíba terá novo presídio de segurança máxima orçado em R$ 31,9 milhões

Segundo o secretário, a nova unidade será construída com recursos oriundos do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen), na ordem de R$ 31,9 milhões. O projeto arquitetônico já etá pronto e o espaço para a construção também foi delimitado, mas ainda não há data para que a obra seja concluída.


Leia mais Notícias no Portal Correio

Porém, nas redes sociais, a população vem criticando a decisão do governo, alegando que o município precisa de investimentos em segurança e educação.

População reclama da construção do presídio

Foto: População reclama da construção do presídio
Créditos: Reprodução/Facebook

População reclama da construção do presídio

Foto: População reclama da construção do presídio
Créditos: Reprodução/Facebook

Ainda conforme o secretário, Gurinhém foi escolhida como sede do presídio por ter uma localização estratégica por ficar entre João Pessoa e Campina Grande, regiões onde o déficit de vagas nas unidades prisionais é de 100%.

O presídio será de segurança máxima e distante cinco quilômetros da sede da cidade de Gurinhém, às margens da Rodovia PB-063, com ligação à BR-230. “Tudo foi muito bem planejado”, pontuou o secretário. Gurinhém atualmente possui uma cadeia pública desativada, e este é mais um motivo para a escolha do local da nova unidade.

A área onde o presídio será construído tem 90 mil metros e será desmembrada de uma propriedade rural com aproximadamente 40 hectares.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas
páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram e veja nossos vídeos no
Youtube. Você também
pode enviar informações à Redação
do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas