Eleições 2018

197 vagas

Iremar Flor

TV Correio

Tribunal de Justiça da Paraíba/Foto: Divulgação/Ednaldo Araújo

Prefeito é denunciado após esposa usar carro locado ao Município

De acordo com a denúncia, o fato só veio a tona após a primeira-dama sofrer um acidente de trânsito com esse veículo locado

841
COMPARTILHE

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) denunciou o prefeito do Município de Patos, Dinaldo Wanderley Filho (PSDB), e a esposa dele, Mirna Medeiros Wanderley, por uso indevido, em janeiro, de um veículo locado com verbas municipais para  servir ao gabinete do prefeito que teria sido utilizado pela primeira-dama para se deslocar até o município de Cacimbas, onde ela trabalha como médica.

De acordo com a denúncia, o fato só veio a tona após a primeira-dama sofrer um acidente de trânsito com esse veículo locado.

O processo foi distribuído ao Pleno do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) e tem como relator o desembargador Márcio Murilo da Cunha Ramos. Nele, o Ministério Público requer que seja fixada na sentença indenização em favor do erário municipal correspondente ao valor dos danos sofridos e que serão apurados no curso da instrução criminal (como gastos com o conserto do veículo acidentado, valor referente à diária da locação do veículo oficial para uso de atividades particulares e gastos com o combustível no trajeto percorrido pela esposa do prefeito e também denunciada).

Além disso, o MPPB também requereu documentos de locação do carro e da investigação sobre o acidente por parte da Polícia Civil.

Em nota, a Procuradoria-Geral do Município de Patos informou que o município não recebeu intimação com relação ao caso e que irá se pronunciar dentro do processo.

“O município não recebeu nenhuma intimação com relação a esse caso; e que, por isso, não há nenhuma obrigação a ser cumprida. O município de Patos é totalmente público e, no prazo correto deve responder de forma clara, honesta, para todos os munícipes. O governo municipal presa pela probidade, transparência e principalmente pela moralidade pública”, informou a Procuradoria.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas