Mensalidade de até R$ 400

Conscientização

Discriminação

Saúde

Presa por furto em livraria de JP, jovem diz ser filha de promotor

Suspeita, de 27 anos, e uma amiga, de 25, foram autuadas por furto qualificado. Nesse tipo de crime não cabe pagamento de fiança

2007
COMPARTILHE

Duas jovens foram presas, na noite dessa terça-feira (18), ao tentar furtar objetos de uma livraria instalada num shopping no bairro de Manaíra, em João Pessoa. Uma delas, de 27 anos, alegou, na delegacia, ser filha de um promotor de Justiça e de uma procuradora federal. A jovem e uma amiga, de 25 anos, foram autuadas por furto qualificado. Nesse tipo de crime não cabe pagamento de fiança. Este caso aconteceu menos de 24 horas após o filho de um juiz da Grande João Pessoa ser preso suspeito de roubos e de trocar tiros com a Polícia Militar.

As suspeitas devem passar por audiência de custódia na tarde desta terça. A Justiça decidirá se elas vão responder ao processo presas ou em liberdade. Segundo a delegada responsável pela autuação, Lídia Veloso, apesar de uma das suspeitas ter dito fazer parte de uma família influente no meio judicial, nenhum advogado ou parente compareceu a delegacia. “Apenas uma amiga foi à Central de Flagrantes. Ela até é advogada, mas disse que não representaria as suspeitas e pediu que o caso foi repassado para algum defensor público”, informou a delegada, ao Portal Correio.

As jovens foram detidas por volta das 21h pela Polícia Militar. Conforme registro policial, elas tentaram sair da livraria com uma agenda, um chaveiro, um abridor de garrafas, uma lapiseira e um porta-joias que não tinham sido pagos. Um segurança percebeu a ação e abordou as suspeitas, que foram levadas até o gerente. “O responsável pela loja contou que as jovens disseram que iriam pagar, pois tinham dinheiro para isso. Mas ele não aceitou e acionou a polícia”, completou a delegada.

Ainda conforme Lídia Veloso, com base no depoimento das suspeitas, uma delas mora no bairro do Bessa e, a outra, no Bairro dos Estados, ambos áreas nobres da Capital.

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas