Moeda: Clima: Marés:
Início Geral

Prorrogada prisão temporária do suspeito de matar Rebeca Cristina

Foi prorrogada, nesta sexta-feira (19), por mais 30 dias a prisão temporária de Edvaldo Soares, padrasto e suspeito da morte da estudante Rebeca Cristina, estuprada e assassinada há cinco anos, em João Pessoa.

Segundo o delegado Glauber Fontes, que coordena o inquérito que apura o homicídio da estudante, a prorrogação da prisão foi pedida para que a polícia pudesse continuar com as investigações.

“A prorrogação foi solicitada pela Polícia Civil e o Ministério Público assim como o 1º Tribunal do Júri tiveram entendimento favorável. A representação foi feita para que pudéssemos dar continuidade às investigações e diligências, que certamente vão ajudar no esclarecimento do caso e dar robustez ao inquérito policial”, disse o delegado.

Padrasto foi preso em julho

Edvaldo Soares foi preso no dia 22 de julho após o promotor Marcus Leite, que assumiu o caso desde o dia 1º de março deste ano, ter solicitado a prisão temporária.

“Identificamos que o padastro vinha obscurecendo as investigações, eis que, sendo um dos principais suspeitos, já deveria ter fornecido outros elementos para a elucidação do crime, e até mesmo, apontar a participação de terceira pessoa. Acreditamos que ele não cometeu os crimes sozinho, se autor intelectual ou material, ele foi auxiliado. E isso é motivo, segundo a lei, para decretação de prisão temporária”, disse o promotor.

O caso

Rebeca Cristina, de 15 anos, foi estuprada e assassinada em 11 de julho de 2011, no trajeto entre a casa da família e o Colégio da Polícia Militar, em Mangabeira VIII (8), Zona Sul de João Pessoa. O corpo da estudante foi encontrado com diversos tiros em um matagal na Praia de Jacarapé, Litoral Sul da Paraíba, na tarde do mesmo dia do crime.

Comentários

Deixe seu comentário
Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2022. Portal Correio. Todos os direitos reservados.