Protestar é legítimo. Pichar, não!

21
COMPARTILHE

Às vezes, a boa intenção pode gerar uma má repercussão. O protesto de mulheres contra a cultura do estupro realizado na noite de quarta-feira, no Busto de Tamandaré, na orla da Capital, assim como em várias cidades do País, é legítimo, válido e a discussão é pertinente. Mas, as imagens do monumento “Eu amo Jampa”, pichado, gerou repercussão negativa. Isso eu não tirei da minha cabeça, me baseei em comentários de uma foto postada no Instagram do jornal (@correiodaparaiba).

Assim como não concordo com ações policiais que assisti em outros Estados, porque vai de encontro à democracia que tanto ecoa nos meus ouvidos, também não compactuo com vandalismos, que acabam por ocultar o verdadeiro sentido de quem protesta por uma causa. Primeiro, porque não leva a nada. Segundo, porque a conta dos reparos sai do poder público que tira dos impostos que pagamos e já pagamos tanto, não é mesmo?

Ontem, a PMJP divulgou nota sobre o fato: “A Prefeitura de João Pessoa apoia o debate sobre um tema tão importante como o combate ao estupro. E apoia toda e qualquer manifestação pública, própria do exercício democrático, desde que não resulte em depredação do patrimônio. Uma equipe será enviada ao Busto de Tamandaré para fazer o levantamento dos custos de recuperação do letreiro turístico. O “Eu amo Jampa” integra um conjunto de ações de revitalização da Orla de João Pessoa, que também contempla a nova Calçadinha e a recuperação do Busto de Tamandaré”. A discussão tem que ir muito mais além do que a cultura do estupro, mas a de políticas públicas reais.

Críticas

A deputada estadual Daniella Ribeiro usou uma rede social para criticar as pichações, alvo de comentários contra e a favor, no monumento “Eu amo Jampa”. “Lamentável atitude de quem utiliza “ causas” como pano de fundo para depredar patrimônio público, politizando um protesto que deveria ter outro objetivo”.

Pelo sertão 1

A rádio peão anda trabalhando bastante esses dias, especialmente via BR-230. Duas exonerações chamaram atenção no Diário Oficial do Estado, de quarta-feira: Lenildo Morais e do médico Erico Djan Alencar.

Pelo sertão 2

Os dois são de Patos e devem disputar o comando da prefeitura contra dois grupos: o da atual prefeita Francisca Motta e do Dinaldinho Wanderley.

Pelo sertão 3

Lenildo é do PT, atual vice-prefeito da cidade, mas que já lançou pré-candidatura própria contra a até então aliada. Era secretário do governo Ricardo Coutinho. Espera o apoio do socialista nessa empreitada.

Pelo sertão 4

O elemento surpresa pode estar em Erico Djan, do PSB, e que tem a simpatia de Ricardo. É considerado um bom quadro. Pode entrar no páreo.

Alternativa

Elogiado até pelo vereador Renato Martins, líder da da bancada de oposição, Helton Renê, volta à Câmara Municipal após deixar o Procon, é tido como alternativa para vice do prefeito Luciano Cartaxo, caso outros nomes, como o de Lauremília Lucena, do PSDB, não aceitem a indicação.

Segurança…

“A segurança pública tornou-se a principal preocupação dos pessoenses. A Câmara de João Pessoa não está alheia a tudo isso”. Afirmou o vereador Lucas de Brito, que discutiu o tema em audiência pública.

…pública

O objetivo da audiência foi reivindicar do Governo do Estado o aumento do efetivo da PMPB, através da convocação de concursados.

Em campina

Paulo de Tarso Vieira, ministro do TJ, vai proferir a palestra de abertura do 19º Encontro de Magistrados Paraibanos, dia 10. O tema: “Diretrizes do novo CPC e os desafios da magistratura”.

Análise

“Errada a afirmação de que o TSE pode julgar politicamente. Deve se ater à Constituição e às leis, não à economia”. Do juiz Márlon Reis.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!

Notícias mais lidas