PC do B se reuniu no auditório, enquanto PTC esteve no Plenário da CMJP (Foto: Adelson Barbosa dos Santos/Jornal Correio da Paraíba)

PTC e PCdoB discutem estratégias para as eleições

Encontros ocorreram em prédios da Câmara Municipal de João Pessoa, na Avenida das Trincheiras, no Centro

160
COMPARTILHE

Dois partidos pequenos que lutam pela sobrevivência reuniram seus integrantes, neste sábado (19), em João Pessoa, para discutir estratégias para as eleições de outubro. Os encontros ocorreram em prédios da Câmara Municipal de João Pessoa, na Avenida das Trincheiras, no Centro. No plenário da Casa, houve o encontro do PTC (Partido Trabalhista Cristão), com a participação do presidente nacional da legenda, Daniel Tourinho.

Do outro lado da rua, em um auditório da Câmara, se reuniram os comunistas do PC do B, que foram mais aguerridos politicamente: lançaram a jovem Gregória Benário para disputar uma cadeira no Senado e Josias Ribeiro para deputado federal. Enquanto os comunistas direcionaram o encontro para aspectos políticos e ideológicos- afinal de contas do PC do B é um dos partidos mais antigos e tradicionais do Brasil-, os integrantes do PTC falaram em dinheiro.

O presidente nacional disse que, a depender dos resultados nas urnas, o PTC terá um Fundo Partidário em torno de R$ 2 milhões por mês e que, se o partido obtiver entre 30 mil e 40 mil votos para deputado federal nas próximas eleições na Paraíba, receberá entre R$ 20 mil e R$ 30 mil por mês para ir se preparando para as eleições municipais de 2020. A ideia, segundo ele, é que João Pessoa eleja dois vereadores pelo PTC daqui a dois anos .

Para tentar atingir a meta inicial de 30 mil votos para federal, o PTC, segundo o presidente nacional, vai concentrar todas as energias, durante a campanha, para os votos de legenda. “A partir de agosto, faremos uma campanha intensa e forte pelo voto de legenda”, declarou Tourinho em pronunciamento no plenário da Câmara de João Pessoa.  Segundo ele, a campanha pelo voto de legenda será realizada em todos os Estados porque o PTC quer sair das eleições de outubro no País como um partido de médio porte para, em 2020,tentar eleger entre 3 mil e 4 mil vereadores em todos os Estados.

Os comunistas, por outro lado, deixaram claro que a prioridade será a campanha de Gregória para senadora. Histórico no PC do B, o ex-deputado Simão Almeida disse que o partido, durante a campanha, usará todas as suas forças para tirar votos do senador Cássio Cunha Lima, pré-candidato à reeleição pelo PSDB. Simão até sugeriu a criação de um slogan contra Cássio. Simão disse que a outra alternativa de voto para senador, pelo comunistas, será o deputado federal Veneziano Vital do Rêgo, pré-candidato pelo PSB.

Ele disse que a estratégia de lançar Veneziano Vital do Rêgo ao Senado para tirar votos de Cássio, não funciona. E explicou: como os dois são de Campina Grande, os campinenses tendem a dividir os votos. Por isso, o PC do B está lançando Gregória para tira votos de Cássio, segundo ele. “Cássio precisa ser derrotado. Não pode se reeleger. Esse é nosso slogan”, disse Simão, convocando os denominados camarada a votarem de corpo e alma em Gregória e apenas de corpo em Veneziano, para derrotar Cássio.

*Texto de Adelson Barbosa dos Santos, do Jornal Correio da Paraíba

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas