Renan elogia decis?o do TCU de adiar an?lise das contas do governo por 30 dias

12
COMPARTILHE

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), considerou um “avanço” a decisão do Tribunal de Constas da União (TCU) que concedeu, pela primeira vez, prazo de 30 dias para que a presidente Dilma Rousseff dê explicações acerca de indícios de irregularidades nas contas do governo de 2014.

Leia mais notícias de Política no Portal Correio

“Se é a primeira vez, é um avanço consagrado que devemos comemorar. Do ponto de vista do Tribunal de Contas [da União], essa decisão consagra um avanço, mas cria, sobretudo, uma oportunidade para que as informações cobradas sejam prestadas e definitivamente se esclareça a questão”, disse Renan.

O senador argumentou que o país passa por um momento de “ativismo” dos Poderes e considerou normal que o TCU também “viva o seu momento”. “Com certeza, é o momento de ativismo dos Poderes. Não há como, na [atual] realidade nacional, que o Congresso não seja o Congresso, que a Presidência da República não seja a Presidência da República, que o Judiciário não seja o Judiciário e que Tribunal de Contas não seja Tribunal de Contas”, ressaltou.

Já o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse que para comentar as contas do governo, o Congresso deve cumprir o papel constitucional de julgar os gastos, algo que não tem sido feito desde 2002. “O que precisa ser feito, até para poder emitir opinião, é o Congresso fazer o juízo das contas. Que possamos pôr para votar as [contas] atrasadas e ter a regularidade do tratamento. Aí, sim, poderemos comentar da forma legislativa qualquer eventual decisão que o Tribunal de Contas tome.”

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal Correio não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.

Notícias mais lidas