Moeda: Clima: Marés:
Início Pandemia

Saúde de João Pessoa pode bloquear CPF de quem escolher vacina

Portador do documento até poderá agendar futuramente, mas será imunizado com a mesma vacina
Foto: Imagem ilustrativa/Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A Prefeitura de João Pessoa prepara ofensiva contra os ‘sommeliers’ de vacina, como têm sido chamados aqueles que tentam escolher qual imunizante vão tomar. Segundo apuração do blog da jornalista Sony Lacerda, da Rede Correio Sat, as pessoas que fizerem o agendamento para tomar a vacina contra a Covid-19 em João Pessoa e não comparecerem terão o CPF bloqueado no sistema.

Com isso, o portador do documento até poderá agendar futuramente, mas será imunizado com a mesma vacina que estava prevista no dia do primeiro agendamento. De acordo com o secretário de Saúde da Capital, Fábio Rocha, a medida pode ser adotada justamente para evitar que a população queira fazer essa escolha.

“Essa é uma atitude inconveniente, egoísta e impensada. Todas as vacinas são eficazes e não estamos em tempos de escolher”, disse. Rocha já havia feito críticas sobre esta questão em entrevista à TV Correio, nessa quarta-feira (7), quando disse ser “lastimável” ter que discutir esse assunto.

Muitas pessoas agendam, mas quando chegam ao local previsto e descobrem qual é o imunizante, pedem para escolher e, como não é permitido, acabam indo embora. Ou seja, outra pessoa perdeu a vaga.

Fábio Rocha esclareceu ainda que a Saúde poderá aceitar um novo agendamento de quem não compareceu para aplicação da vacina, mas apenas com uma comprovação de que não pôde estar presente naquele momento. “Essa pessoa deve apresentar um atestado ou qualquer outro documento que mostre a real impossibilidade de ter comparecido para ser imunizado”, explicou.

Ele também afirmou que servidores da Saúde de João Pessoa têm relatado casos de agressões verbais feitas por pessoas descontentes por não encontrarem o imunizante da ‘marca’ preferida.

Comentários

Isabella disse:

Atitude ridícula !
O corpo é nosso, é nossa vida. Tem muita gente que não tem problema nenhum em tomar qualquer vacina, deixa pra eles tomarem essas então. Vou me mudar para a Europa e estou com o dinheiro exato para passar 6 meses procurando emprego enquanto pago aluguel e arco com os demais gastos da casa, na Europa a Coronavac não é aceita, só posso ir para alguns países específicos e preciso fazer uma quarentena de 10 dias no hotel, se o hotel fosse gratuito ok, mas preciso pagar todos os dias, ou seja, a Coronavac me sairia um gasto de 2.500 EUROS (mais de 16 mil reais !!!). Isso tudo por frescura de político que se acha dono do nosso corpo !

Mônica de Sá gomes disse:

Meu problema e que a pessoa do posto agendou drivetur e não tenho carro e muito menos como pegar ônibus de um bairro p outro pois estou desempregada e sem dinheiro de passagem.Outra coisa esse repórter q está criticando não sabe se a pessoa tem alergia que e o meu caso quero tomar a mesma que vacina q minha irmã tomou Pfiser ela não teve muita reação.Vou escolher sim.

Ana klea Matias Rodrigues disse:

Eu quero tomar a primeira dose da vacina contra covid19 mais não sei agenda

Sérgio disse:

Deixa eu ver se entendi. EU não posso decidir o que vai ser injetado no meu próprio corpo. O secretário de saúde é quem é meu dono, e decide por mim o que fazer com meu próprio corpo? É isso?
E digamos que eu sofra um efeito colateral? Ele vai me indenizar? Não, né? Nessas horas eu quem sou o responsável. Na hora de decidir, ele é quem é o meu dono.
Já vi ditadores mais benevolentes.

Maria Aparecida de Santana disse:

Eu já tomei as duas doses da coranavac e o meu primo a 1a.dose da astrazenecaA 2a.dose ficou setembro.Encontramos dificuldades no agendamento.Houve.notívias.de.que.havia lotes vencidos.Verifiquei no cartão o lote que estava lá.Ví uma lista dos lotes vencidos,mas não era o lote do cartão dele.Ficamos aliviados,mas lamentando o fato.Como saber que no ato de.tomar a vacina não estar vencida?

Deixe seu comentário
Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2022. Portal Correio. Todos os direitos reservados.