Início Geral

Saúde de JP diz que Trauminha sabia da saída de mulher do local; ela foi achada morta

A Secretaria de Saúde de João Pessoa divulgou nota afirmando que a paciente de 63 anos, achada morta na calçada do Ortotrauma, estava com dores abdominais porque tinha cálculo na vesícula biliar. Segundo a Saúde, o quadro não seria de urgência e ela estava lúcida, o suficiente para decidir que não queria ficar internada. Com a nota, a Secretaria de Saúde desfaz a versão de que ela saiu sem ser percebida. Comente no fim da matéria.

Leia mais Notícias no Portal Correio

Ela passou por exames de ultrassonografia, mas não foi operada de imediato devido ao histórico de doença cardiovascular prévio. “Ela foi operada há 10 anos, [tinha] diabetes e era usuária de insulina”, disse a Saúde. De acordo com a Secretaria, a senhora estava com pressão arterial oscilante e devido a esses problemas, o órgão explica que foi necessário fazer uma avaliação do quadro da paciente para que houvesse indicação de procedimento cirúrgico.

Conforme a Saúde, ela foi posta em monitoração e houve realização de acesso venoso e de exames para avaliação da parte cardiológica, não sendo constatado risco iminente. “O problema de cálculo biliar não é caracterizado um procedimento de urgência”, disse a Secretaria.

A Saúde divulgou que a paciente morava a 500 metros do Complexo Hospitalar de Mangabeira, estava lúcida e consciente durante todo o período em que esteve na unidade hospitalar. “Na manhã desta quarta-feira (26), já com a pressão arterial estabilizada, após ser tratada com hidratação e analgesia, ela arrancou o acesso venoso e se negou a continuar internada”, disse, em nota, atestando que o hospital sabia que a senhora não queria mais ficar internada.

“A equipe de saúde do hospital pediu para que ela permanecesse, mas não é possível obrigar um paciente lúcido e consciente a dar continuidade ao tratamento. A família foi comunicada da evasão, assim que a paciente saiu da unidade hospitalar”, finalizou a Secretaria.

A direção do Ortotrauma disse co Correio Debate, da Rede Correio Sat, que abriu uma sindicância para apurar o caso.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas
páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram e veja nossos vídeos no
Youtube. Você também
pode enviar informações à Redação
do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

Palavras Chave

Portal Correio

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.