Início Geral

Secret?rio de Seguran?a da PB critica decis?o de juiz que liberou grupo suspeito de roubos e furtos

O secretário de Segurança Pública e Defesa Social da Paraíba, Cláudio Lima, repudiou a decisão do juiz Manoel Gonçalves Dantas, da 3ª Vara Regional de Mangabeira, em João Pessoa, que colocou em liberdade um grupo que, segundo Lima, é especializado em grandes roubos e furtos qualificados em vários estados. A decisão judicial ocorreu na sexta-feira (7), um dia depois da prisão de cinco pessoas pela Polícia Militar.

Leia mais Notícias do Portal Correio

“Não podemos aceitar a decisão de Dr. Manoel Gonçalves. É inadmissível um magistrado soltar uma quadrilha sem analisar detalhadamente o inquérito. Alguns dos integrantes desse grupo possuem ficha criminal extensa e atuação criminosa em vários estados. Durante a prisão, eles ainda tentaram subornar os policiais com R$ 7 mil”, comentou Lima.

O magistrado disse que não vai polemizar com o secretário e falou ao Portal Correio que a decisão foi analisada e baseada conforme prevê a lei. “Apenas cumpri o que prevê a lei. Não vou entrar no mérito da discussão, mas a lei tem várias interpretações”, resumiu.

O secretário evitou criticar a Justiça da Paraíba por conceder liberdade aos presos na operação, mas falou que as operações policiais são feitas com racionalidade e inteligência. “Foi um trabalho intenso de investigação jogado pelo ralo. Fazemos um trabalho de formiguinha durante meses para conseguir colocar atrás das grades pessoas criminosas. A decisão do juiz sela o entendimento de impunidade, mas não representa o pensamento de todo judiciário”, desabafou o secretário.

O grupo estava recolhido na Central de Polícia Civil de João Pessoa. Segundo consta no inquérito da Polícia Civil, os cinco homens foram presos na madrugada da quinta-feira (6) suspeitos de comandar assaltos e arrombamentos a estabelecimentos comerciais na capital paraibana. A prisão aconteceu no bairro Ernesto Geisel, Zona Sul da Capital. Dois dos suspeitos são paraibanos, enquanto os outros três são naturais de Cuiabá, Capital do Mato Grosso.

De acordo com informações da Polícia Militar, o grupo chegou a oferecer R$ 7 mil aos policiais envolvidos na operação para que eles os deixassem fugir, o que configura tentativa de suborno. O dinheiro foi apreendido pela polícia, assim como celulares, materiais usados para praticar arrombamentos e um revólver.

Palavras Chave

Portal Correio

Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será revelado.

publicidade
© Copyright 2021. Portal Correio. Todos os direitos reservados.